O amor é um sentimento essencial para o ser humano. Buscamos e queremos encontrar uma pessoa especial com quem compartilhar a vida. No entanto, nem sempre somos felizes. Você já se perguntou se escolhemos um parceiro conscientemente?

Queremos encontrar o amor da nossa vida, sem saber, entretanto, que existem elementos em nossa psique que desempenham um papel fundamental para tornar a escolha sentimental a correta. Muitas memórias se movem dentro de nós toda vez que tomamos uma decisão, especialmente quando escolhemos um parceiro.

Mulheres naufragadas no mar de incompreensão e abandono, homens com parceiros muito exigentes, infidelidade, tédio, decepção, ciúmes … Existem muitas causas pelas quais as relações não funcionem, mas a principal é que não escolhemos um parceiro conscientemente.

Em muitas ocasiões, desenvolvemos uma espécie de “ignorância seletiva”, um mecanismo pelo qual nos recusamos a reconhecer nossos próprios preconceitos.

Em um nível consciente, nunca reconheceríamos os requisitos que temos ao escolher nossa cara-metade. Embora pareça louco, às vezes selecionamos um parceiro com toda a intenção inconsciente de sofrer.

Quais fatores influenciam?

Uma pergunta que devemos sempre fazer é: quantos preconceitos inconscientes determinam nossa escolha de parceiro? Há vários fatores em nossa psique que nos orientam a escolher o companheiro e que nem sempre têm resultados bem-sucedidos:

Projeções de sua história de amor

Questões não resolvidas com parceiros anteriores interferem nas novas escolhas. Seu inconsciente não será capaz de distinguir quem é quem e você reagirá da mesma maneira, mesmo que o que está acontecendo não seja a mesma situação.

O relacionamento com seus pais

Se você teve um relacionamento muito bom com sua mãe, procurará uma mulher que se pareça com ela. Se seu pai era um ídolo para você, seu parceiro terá as mesmas características.

Obviamente, não é algo que estamos procurando deliberadamente. No entanto, se você analisar o seu caso ou o de outros, poderá observar essas semelhanças.

O relacionamento que seus pais tiveram entre eles

Como seus pais se tratavam entre si também influenciará sua escolha de parceiro. Se houve um imenso amor e lealdade, você pode repetir o padrão. Se eles se divorciaram sem reconstruir sua vida, então, pode ser difícil manter um relacionamento de longo prazo.

A baixa autoestima influencia quando escolhemos um parceiro

A valorização negativa de si próprio e o amor não se dão muito bem. Por quê? Porque muitas vezes não começamos a namorar alguém porque queremos, mas devido à necessidade de aceitação e então, caímos na dependência emocional.

Muitos relacionamentos não funcionam porque algumas pessoas preferem ficar vinculadas por medo à solidão do que pelo amor em si mesmo.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.