Imagem: Rogers Elizandro Jarbas
Rogers Jarbas  foi denunciado pelo crime de ameaça – Foto: arquivo AGORA MT

O delegado da Polícia Civil, Rogers Elizandro Jarbas, que é ex-secretário de Segurança Pública do Estado, foi denunciado pelo Ministério Público Estadual (MPE) nesta nesta sexta-feira (13) pelo crime previsto no artigo 344 do Código Penal, que consiste em “usar de violência ou grave ameaça, com o fim de favorecer interesse próprio ou alheio, contra autoridade, parte, ou qualquer outra pessoa que funciona ou é chamada a intervir em processo judicial, policial ou administrativo, ou em juízo arbitral”. A pena prevista é de um a quatro anos de reclusão e multa.

A denúncia refere-se a um fato ocorrido no dia 28 de março de 2018 no interior de um supermercado de Cuiabá. Na ocasião, Rogers Jarbas passou a monitorar o também delegado Flávio Henrique Stringueta, na tentativa de “mapeá-lo” em dois momentos. A vítima, conforme consta na denúncia, presidia um inquérito policial que culminou na Operação Esdras, um desdobramento do esquema de grampos telefônicos clandestinos que ficou conhecido como “grampolândia pantaneira”.

A Esdras resultou na prisão de Rogers Elizandro Jarbas que junto com outros integrantes do staff do ex-governador Pedro Taques (PSDB) que armavam um plano para afastar o desembargador Orlando de Almeida Perri da relatoria de processos e recursos da grampolândia no Tribunal de Justiça de Mato Grosso.

Segundo o Ministério Público, após as tentativas de intimidação no interior do supermercado, Jarbas ainda procurou a vítima no estacionamento provocando uma discussão, chamando-o de “safado” e instando-o a resolver as coisas de “homem pra homem”. As imagens do circuito interno, de acordo com a denúncia, demonstram que a investida do denunciado teve requinte de premeditação.

A denúncia foi oferecida pela 19ª Promotoria Criminal de Tutela Coletiva de Segurança Pública da Capital.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.