Imagem: Mauren Lazzaretti
Secretária estadual de Meio Ambiente, Mauren Lazzaretti – Foto: Welington Sabino / AGORA MATO GROSSO

Atendendo a uma convocação que partiu do deputado estadual Wilson Santos (PSDB) e foi aprovado pelos demais parlamentares, a secretária estadual de Meio Ambiente, Mauren Lazzaretti, participa de uma reunião na Assembleia Legislativa nesta quarta-feira (10) para discorrer sobre as ações de combate às queimadas em Mato Grosso.

A partir das 15h a titular da Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema) vai  prestar informações aos deputados estaduais a respeito dos procedimentos adotados pelo governo do Estado no combate às queimadas que levaram o governador Mauro Mendes (DEM) a decretar situação de emergência por 60 dias.

Dados oficiais divulgados pelo Governo do Estado mostram que  Mato Grosso registrou 8.030 focos de calor em agosto deste ano, um crescimento de 230% em relação ao mesmo período de 2018, tendo como base, os dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Somente neste ano já são mais de 20 mil focos de calor registrados no Estado.

Sobre sua convocação, a secretária Mauren Lazzaretti informou ao portal AGORA MATO GROSSO que não vê qualquer problema e irá prestar todos os esclarecimentos. Ressaltou, no entanto, que não irá sozinha, mas com toda uma equipe composta por integrantes de diferentes instituições que atuam em conjunto para o combate e prevenção às queimadas e demais crimes ambientais.

“A Assembleia Legislativa é a casa do Povo, acho importante, inclusive, que a gente vá e mostre todas essas ações. Só não é a Secretaria de Meio Ambiente sozinha. Nós vamos o Ciman todo fazer a demonstração de todas as ações. É injusto dizer que só a Sema está fazendo esse trabalho, que não é da Secretaria de Meio Ambiente. É da Sema, é da Sesp com todas suas estruturas, é do Ibama, do Prevfogo, do ICMBio, da Defesa Civil”, informou Lazzaretti.

Conforme a secretária, trata-se de um comitê articulado de várias instituições que têm trabalhado de forma coordenada e conjunta para executar ações de combate não só às queimadas, mas a todos os ilícitos que estão atrelados a ela. Ou que são identificados no momento das ações in loco que têm sido realizadas em todo o Estado.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.