31 de outubro de 2020
Mais
    Capa Destaques Mauro Mendes promete solução definitiva para obra da saúde abandonada há 34...
    HOSPITAL CENTRAL

    Mauro Mendes promete solução definitiva para obra da saúde abandonada há 34 anos

    Considerado uma espécie de

    Imagem: Hospital central e Mauro Mendes
    Obra do Hospital Central está paralisada há 34 anos e governador vai apresentar ‘solução’ – Fotos: divulgação

    Dentro de no máximo 60 dias, ou seja, ainda este ano, o governador Mauro Mendes (DEM) promete apresentar, em definitivo, uma proposta sobre o que será feita da obra inacabada do “Hospital Central”. O empreendimento está paralisado há 34 anos apesar das várias promessas já feitas em gestões anteriores, incluindo o ex-governador Pedro Taques (PSDB) que chegou a afirmar que a obra seria uma marca de sua administração.

    Mendes foi questionado sobre o assunto na tarde desta quarta-feira (30) durante coletiva de imprensa porque a Comissão da Saúde da Assembleia Legislativa apresentou um relatório com apontamentos dos principais problemas e gargalos que atingem a saúde pública em Mato Grosso.

    “O que posso dizer é que as nossas equipes técnicas já estão trabalhando há meses nesta direção para que nós possamos chegar até o final do ano e apresentar uma solução definitiva, verdadeira e já em condições de colocar em marcha sua execução. Não simplesmente lançar ideias ao vento e depois não fazer nada”, ressaltou o governador.

    Sobre o percentual da receita estadual destinada à saúde, Mendes disse que continua aplicando os 12%, que é o percentual mínimo determinado por lei como prevê a lei. Pontuou esse é o valor que já vinha sendo investido pelos governos anteriores na Pasta. Ressaltou, no entanto, que os avanços já podem ser observados na reforma da Santa Casa de Misericórdia de Cuiabá, transformada em Hospital Estadual de Alta Complexidade e agora sob gestão da Secretaria Estadual de Saúde (SES).

    Citou ainda as reformas em andamento dos Hospitais Regionais de Sinop, Sorriso, Rondonópolis e o Metropolitano, em Várzea Grande  bem como a regularização de repasses atrasados aos municípios, resquícios da gestão Pedro Taques. “EM 2018 chegou a ficar 11 meses em atraso, mas este ano o governo está em dia com os repasses e pagando atrasos de 2018  e 2017”, observou Mendes.

    O governador garantiu que vai continuar aplicando os 12%, mas dando mais eficiência e qualidade no gasto para produzir mais resultado. “Não adianta muito dinheiro e ser mal gasto como certamente estava ocorrendo em Mato Grosso”, cutucou o democrata.

    Hospital Central e promessas

    Imagem: hospital central e pedro taques
    Ex-governador Pedro Taques visitando a obra inacabada do Hospital Central – Foto: assessoria

    Em matéria publicada em 23 de janeiro de 218 no site oficial do Governo de Mato Grosso, o então governador Pedro Taques ressaltou que antes de entrar para a polícia, quando atuava como procurador da República, ele ajuizou uma ação contra todos os ex-governadores e o Estado para terminar a obra do Hospital Central.

    “Esta ação foi julgada procedente e o Estado foi condenado a terminar esta obra. Fui eleito governador e desde o início do mandato começamos a trabalhar a retomada desta obra que está parada há mais de 30 anos. Está é uma obra que marca a nossa administração”, disse Taques à ocasião. Sua gestão terminou em dezembro do ano passado e promessa não foi cumprida pelo tucano.

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS