Imagem: Evanderly Oliveira
Evanderly Oliveira estava no regime semiaberto desde junho deste ano – Foto: AGORA MATO GROSSO

O enfermeiro Evanderly de Oliveira Lima, 49 anos, condenado a 18 anos e seis meses de prisão por ter matado a tiros sua ex-mulher, a juíza Glauciane Chaves de Melo, da comarca de Alto Taquari (MT), voltou ser preso na tarde desta terça-feira (12), no bairro Goiabeiras, em Cuiabá. Informações da equipe da Polícia Militar que prendeu o foragido apontam que ele foi preso por “acaso”.

Isso porque durante uma abordagem rotineira, a guarnição abordou Evanderly e na checagem constatou-se um mandado de prisão em aberto contra ele. Diante dos fatos ele foi detido e entregue à Gerência Estadual de Polinter (Gepol). Segundo informações do B.O, Evanderly estava com mandado de prisão em aberto relacionado ao homicídio cometido em 2013 contra a ex mulher.

Vale destacar que em 25 junho deste ano enfermeiro obteve a progressão de regime e deixou a cadeia para continuar cumprindo a pena no regime semiaberto, através do uso de tornozeleira. A audiência admonitória foi presidida pelo juiz Geraldo Fernandes Fidélis Neto, da Vara de Execuções Penais (2ª Vara Criminal de Cuiabá).

Conforme a decisão, Evanderly, conquistou o direito devido ao bom comportamento, mas foram impostas cautelares a serem cumpridas. Dentre elas, o recolhimento noturno no período entre 22h as 6h, além de arrumar um emprego.

O magistrado ainda proibiu o réu de frequentar lugares inapropriados, como casa de prostituição, casa de jogos, bocas de fumo e locais similares, bem como o proibiu de portar armas de fogo ou armas brancas (faca, canivete, etc).

Evanderly também não poderia ingerir bebida alcoólica ou fazer uso de qualquer espécie de substância entorpecente e deve não se envolver em qualquer tipo de infração penal. Ele também deveria comparecer mensalmente no Ganha Tempo do centro de Cuiabá ou na Fundação Nova Chance.

Não há informações sobre o motivo da decretação de nova prisão. Mas suspeita-se que o acusado tenha descumprido alguma das medidas cautelares impostas no momento em que passou para o regime semiaberto.

O CRIME 

O crime foi praticado no dia 7 de junho de 2013, ocasião em que Evanderly entrou na sala de audiência do Fórum, em Alto Taquari, para conversar com a magistrada. Ao tentar uma reconciliação com ela, os dois começaram a discutir, sendo que o enfermeiro sacou a arma e atirou contra a magistrada acertando dois tiros na região da nuca.

Após o assassinato, o ex-marido fugiu de carro e deixou o revólver usado no crime cair em frente a uma residência próximo do Fórum. O segurança que faz a guarda do prédio ainda teria tentado impedir a fuga do suspeito atirando contra ele.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.