Imagem: Emanuel Pinheiro e Mauro Mendes
Prefeito Emanuel Pinheiro e o governador Mauro Mendes – Foto: Welington Sabino / AGORA MATO GROSSO

A presença do governador Mauro Mendes (DEM) na cerimônia de entrega da última etapa do Hospital Municipal de Cuiabá (HMC), na noite desta segunda-feira (18), foi interpretada por algumas pessoas como uma trégua na relação turbulenta com o prefeito da Capital, Emanuel Pinheiro (MDB).

No entanto, o democrata fez questão de “desmentir” e constranger o emedebista na frente de uma multidão ao entregar uma planilha provando que a obra nunca ficou paralisada como Emanuel chegou a dizer em ocasião anterior. Assista ao vídeo no final do texto.

Mendes, depois de um discurso que durou cerca de 20 minutos encerrou sua participação no evento realizado na noite desta segunda-feira, entregando o documento nas mãos de Pinheiro. A relação da dupla, há vários meses, tem sido marcada por troca de farpas e acusações durantes entrevistas e coletivas.

“Só para finalizar, quero deixar em suas mãos uma planilha porque estes dias eu vi o senhor anunciando, eu tenho certeza que o senhor fez isso porque a assessoria deve ter lhe informado de maneira equivocada, que a obra ficou paralisada”, falou o governador ainda ao microfone e segurando um envelope com o documento.

Conforme Mendes, trata-se de uma planilha da Prefeitura que mostra que desde julho de 2015, quando a obra teve sua primeira medição, até maio deste ano, todos os meses em todos estes anos houve medições que deixaram a obra sempre em funcionamento.

Imagem: Botelho, Mendes e Emanuel
Mauro Mendes e Emanuel Pinheiro ficaram um do lado do outro – Foto: Welington Sabino / AGORA MATO GROSSO

“Eu tenho certeza que quando o senhor falou isso uns dias atrás, foi a sua assessoria, porque tenho absoluta convicção que o senhor jamais falaria uma inverdade dessas. Então, para reposicionar a verdade eu quero entregar pessoalmente em suas mãos, e agradecer muito por ter terminado esta obra”, enfatizou o chefe do Palácio Paiaguás.

Na sequência, ele foi até Emanuel Pinheiro que se levantou e recebeu o documento. Ao mesmo tempo, houve aplausos com palmas e também algumas vaias de pessoas presentes no evento.

Mauro Mendes, depois foi questionado por jornalistas sobre a situação e ressaltou que fez um reposicionamento da verdade e que, segundo ele, é a mentira que precisa ser vaiada.

“Se as pessoas vaiam a verdade é muito complicado isso. Aquele é um documento oficial da Prefeitura, é verdadeiro, é público. Mostra que a obra, desde o mês de julho de 2015 até maio de 2019 nunca ficou um único mês com obra paralisada. Então, nós tínhamos que vaiar as mentiras, as falas que são equivocadas ou que não refletem à realidade”, justificou o democrata.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.