Diante das inúmeras denúncias contra os problemas de infestação de pombos em Rondonópolis (MT), a Unidade de Vigilância e Zoonose (UVZ) montou uma força-tarefa para fazer o controle populacional da espécie.

Conforme informações, diariamente a unidade recebe mais de 30 ligações por dia com reclamações sobre este tipo de ave, que é vetor de diversas doenças, como a criptococose – que é uma infecção pulmonar que pode causar a morte.

Biólogos, veterinários e profissionais de saúde trabalham em um plano de ação com medidas de curto, médio e longo prazo dos animais, projeto que terá aval da Secretaria de Meio Ambiente (Sema) antes da execução.

Além do plano de ação, o grupo de trabalho também prepara um material de orientação para os moradores, para evitar doenças e acidentes com os animais.

Não foi anunciada uma data para o início dos estudos, mas os resultados serão apresentados para a Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema), juntamente com um plano de ação, além de outras informações, já que será preciso uma autorização do órgão ambiental estadual para que as ações de controle da superpopulação de pombos possam ser executadas

 

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.