Neste mês, teve início obra de gradeamento e automatização em toda a área interna da unidade prisional Major Eldo Sá Corrêa, conhecida como Mata Grande, em Rondonópolis. O trabalho, que é pioneiro no Estado, visa ampliar a segurança do efetivo e dos 1.400 reeducandos. A previsão é de que a obra seja finalizada na primeira quinzena de janeiro de 2020.

Ao todo, 300 metros de grade serão colocados na unidade e o valor da obra é de, aproximadamente, R$ 250 mil. Segundo o diretor da unidade, Aílton Ferreira, o modelo de gradeamento e automatização incrementado na Mata Grande é o mesmo que já é utilizado em grandes metrópoles do país, a exemplo dos Estados de São Paulo e Florianópolis.

Atualmente, todo o trabalho de retirada do reeducando da cela para ser encaminhado a outro local interno tem que ser feito com o auxílio de servidores. Com a efetivação da obra, ao sair da cela, o reeducando passará por um espaço cercado de grades e toda a movimentação será acompanhada por videomonitoramento em uma sala de controle.

“Esse modelo a ser adotado na nossa unidade garante mais segurança para o profissional e o reeducando. Acreditamos que conseguiremos otimizar o nosso trabalho. Hoje, cada saída de reeducando da cela tem que ser acompanhada por pelo menos oito servidores. Com a mudança, o preso sai da cela e já fica cercado por grades. Com isso, será necessária a utilização de menos servidores, o que garantirá uma melhor fiscalização em toda a área”, ressalta o diretor.

A mão de obra é realizada por 15 reeducandos que atuam como pedreiros e serralheiros.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.