Imagem: Wellington Fagundes no Senado
Em pronunciamento, à bancada, senador Wellington Fagundes (PL-MT) – Foto: Roque de Sá/Agência Senado

A situação crítica da BR-174, entre os municípios de Castanheira e Juruena, na região Noroeste de Mato Grosso, foi relatada no plenário do Senado pelo senador Wellington Fagundes (PL-MT). Ele cobrou do ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, e do diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura Terrestre (DNIT), general Santos Filho, uma ‘operação emergencial’ do Governo para combater os atoleiros que se formaram nesse trecho de 35 quilômetros ainda não asfaltado, após as constantes chuvas.

“Já temos problemas gravíssimos de interrupção do tráfego naquela região” – alertou o senador do PL. Ao pedir ação do Governo, Fagundes destacou a importância de se manter a rodovia em condições de trafegabilidade.  Em Aripuanã está concentrado grandes investimentos na área de mineração. “Isso está levando também ainda à abertura de novas áreas para a produção agropecuária e principalmente agrícola” – frisou o senador.

O crescimento do tráfego preocupa também já que as pontes ao longo da rodovia são de madeira e estão sendo fortemente impactadas, segundo o senador. Ele manifestou temor de que tragédias possam vir a acontecer. Citou, como exemplo, o caso da ponte do Rio Vermelho, que tem grande extensão e que por várias vezes foi danificada.

Presidente da Frente Parlamentar de Logística e Infraestrutura, Wellington sugeriu ao ministro da Infraestrutura e ao diretor-geral do DNIT que seja feita uma operação semelhante a desenvolvida no ano passado na BR-163 – evitando a interrupção total do trânsito. Inclusive, com a liberação de recursos emergenciais. Ele enfatizou que estão previstos, para este ano, pouco mais de R$ 4 milhões para manutenção de 300 quilômetros de rodovias não pavimentadas – valor considerado insuficiente para a demanda.

“Apelo ao Governo para que faça essa operação emergencial e não deixem todas estas cidades, Castanheira, Juruena, Aripuanã e Colniza, totalmente isoladas” – apelou.

Em seu pronunciamento, Wellington também manifestou preocupação com a escassez de recursos para infraestrutura. Ele previu dificuldades para Mato Grosso nesse setor. Na proposta orçamentária para a manutenção do Estado de Mato Grosso, que veio para o Congresso Nacional, são R$ 214 milhões, sendo que a média dos investimentos é de, no mínimo, de  R$ 300 milhões, R$ 350 milhões.

Ao se associar aos apelos do senador Wellington Fagundes, o senador Jayme Campos lembrou que  Mato Grosso tem colaborado sobremaneira com a balança comercial brasileira. Ele enfatizou que o  PIB de Mato Grosso no ano de 2017, foi de 12%, acima da média nacional. “Agora, não pode acontecer o que está acontecendo. O Governo Federal quase nada está fazendo pelo nosso Estado” – apontou.

Campos cobrou do Governo a destinação de recursos suficientes não só para atender a BR-174, como também para a BR-158, a BR-242 e para outras rodovias federais que cortam o Estado. “Lamentavelmente, a proposta do Governo Federal, , destina muito pouco para isso no orçamento de 2020, está bem aquém das nossas necessidades” – disse.

 

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.