20 de setembro de 2020
Mais
    Capa Destaques Rondonópolis | Penitenciária da Mata Grande começa retirar tomadas das celas
    AGORA É LEI

    Rondonópolis | Penitenciária da Mata Grande começa retirar tomadas das celas

    Imagem: reforma raios pce
    Reforma na Penitenciária Central do Estado (PCE) – Foto: Sindpen/MT

    Foi sancionada pelo governador Mauro Mendes (DEM) e publicada no Diário Oficial desta quinta-feira (5), a Lei n° 11.042 que prevê várias mudanças no sistema penitenciário em Mato Grosso. De autoria do deputado estadual João Batista (Pros), a norma proíbe, inclusive, a instalação de tomadas nas celas das penitenciárias de todo o Estado.

    Em Rondonópolis (MT), a Penitenciária Major Eldo Sá Corrêa, conhecida como Mata Grande, está passando por uma reforma e se adequando à nova lei. Pelos próximos dias todas as tomadas acessíveis aos detentos serão retiradas.

    Na unidade também foi inaugurado e já está funcionando o novo parlatório com oito baias que contam com climatização e câmeras de segurança. Advogados e presos vão conversar separados por um vidro, por meio de interfone, sem qualquer contato físico.

    O novo parlatório foi construído para atender os cerca de 300 homens que aguardam julgamento no anexo da Mata Grande e custou cerca de R$ 32 mil ao Estado. O novo modelo impede também a entrada de materiais ilícitos como drogas e celulares.

    Imagem: parlatorio penitenciaria dr pio canedo181218b
    Foto: Sindispen/MT

    Ainda de acordo com a nova lei, deve ser criada a Área de Segurança Penitenciária Estadual (Aspe) no entorno dos estabelecimentos penais de Mato Grosso para evitar fugas, arremessos de objetos, de materiais ilícitos e explosões, além do contato dos presos, por qualquer meio, com o exterior. Considera-se Aspe a área externa ao estabelecimento penal, definida a partir de seu muro, até o limite de 100 metros.

    Por enquanto, a Penitenciária Central do Estado (PCE), é a única que já retirou todas as tomadas que os presos tinham acesso, durante a última reforma. As outras cidades devem se mobilizar para eliminar as tomadas que existem nas unidades prisionais.

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS