19 de setembro de 2020
Mais
    Capa Notícias Manchete 'Sou governador, mas não sou ditador', diz Mauro Mendes ao apoiar Fávaro...
    APÓS CASSAÇÃO DE SELMA

    ‘Sou governador, mas não sou ditador’, diz Mauro Mendes ao apoiar Fávaro ao Senado

    Governador Mauro Mendes apoia o aliado Carlos Fávaro para disputar a vaga da senadora cassada, mas ressalta que a decisão é do seu grupo político

    Imagem: Favaro, Mendes e Jayme
    Carlos Fávaro, Mauro Mendes e Jayme Campos em atos de campanha em 2018 – Foto: divulgação

    No cenário político mato-grossense a pauta mais urgente é a eleição suplementar ao Senado que terá um custo aproximado de R$ 9 milhões para preencher a cadeira da senadora Selma Arruda (Podemos), que teve o registro cassado por crime de caixa 2 e abuso de poder econômico no pleito de 2018. E o Partido Democratas (DEM) que tem hoje o governador Mauro Mendes e o senador Jayme Campos, não vai ficar de fora da disputa.

    Em entrevista ao PORTAL AGORA MATO GROSSO, o governador confirma que os democratas vão lançar ou apoiar um candidato e que muitas pessoas já estão conversando sobre isso, inclusive algumas que participaram da disputa em 2018 quando Selma Arruda foi eleita como a mais votada para uma das duas vagas ao Senado como representante de Mato Grosso.

    “O Carlos Fávaro, por exemplo, foi junto comigo candidato, ficou em terceiro lugar. Eu não tenho motivo nenhum, por exemplo, pra não continuar apoiando ele. Pode ser que ele seja um candidato. O DEM pode querer lançar um candidato e eu não posso proibir ninguém de ser candidato, nós vivemos numa democracia”, comentou o governador. Confira o vídeo no final do texto.

    Ele foi questionado sobre o peso que representa sua opinião por ser o democrata ocupante do mais importante cargo político no Estado, atualmente. Ponderou, no entanto, que não pode impor sua vontade e que o candidato do grupo será escolhido após amplo diálogo.

    “Pra opinar sim, mas eu sou governador, não sou um ditador. Então eu também vou ouvir na política a opinião dos meus companheiros, vou ouvir pessoas próximas de mim. Vou conversar com muitas pessoas para que as decisões sejam tomadas para que tenhamos um bom candidato e ele possa, se for eleito, ter boa afinidade conosco e possa prestar um bom serviço a Mato Grosso e aos mato-grossenses”, justificou Mendes.

    Sem perseguição política a Selma Arruda

    Mauro Mendes também discorda das alegações de Selma Arruda, que depois de uma cassação por 7 votos a zero no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT) e outros seis votos contra um no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), insiste em alegar que foi vítima de perseguição política. A juíza aposentada insinua que as duas cortes eleitorais não teriam feito um julgamento técnico com base nas provas contidas nos autos.

    “Olha, não sei se o Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso e o Tribunal Superior Eleitoral com ministros da Suprema Corte iam se prestar a esse papel. Eu acredito que não. Respeito a opinião dela, respeito qualquer opinião, mas eu também respeito o TSE e respeito o TRE de Mato Grosso. Acho que são instituições sérias”, declarou o governador.

    Dessa forma, Mendes pontua que não entrará em qualquer polêmica sobre o assunto. “Mas já foi tomada a decisão e vai ter novas eleições em Mato Grosso. Nós vamos ter que rapidamente escolher um senador que possa ajudar o Estado e ajudar aos interesses do estado de Mato Grosso”, observa o democrata.

    Governador Mauro Mendes

    Entrevista com o governador de Mato Grosso, Mauro Mendes sobre temas importantes, veja:

    Posted by Agora MT on Friday, December 13, 2019

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS