19 de junho de 2021
Mais
    Capa Cidades Brasília Bolsonaro sinaliza 'participar' da eleição ao Senado e Galvan prevê vitória do...
    EFEITO BOLSONARO CONTINUA?

    Bolsonaro sinaliza ‘participar’ da eleição ao Senado e Galvan prevê vitória do apadrinhado

    Presidente Jair Bolsonaro sinalizou que deve apoiar um candidato ou candidata interessado na vaga da senadora cassada, Selma Arruda

    Imagem: Jair Bolsonaro
    Presidente Bolsonaro – Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

    A eleição suplementar para o Senado, marcada para 26 de abril deste ano em Mato Grosso, já despertou o interesse até do presidente Jair Bolsonaro, que mesmo sem partido e correndo contra o tempo para tirar do papel o Aliança pelo Brasil, está de olho na disputa. Não existe qualquer possibilidade de a legenda, ainda em fase coleta de assinaturas para sua criação, lançar um nome, mas Bolsonaro sinalizou que deve apoiar algum candidato.

    Em transmissão ao vivo, nesta sexta-feira (24), através de uma live no Facebook, o presidente comentou sobre o pleito que escolherá uma senadora ou senador para a vaga de sua aliada, a juíza aposentada Selma Arruda (Podemos), que foi cassada por crimes de caixa 2 e abuso de poder econômico nas eleições de 2018.

    “Se tiver um bom candidato em Mato Grosso, a gente vai lançar esse candidato nosso. Se nosso partido tiver formado a gente lança esse candidato. Se não tiver formado o partido, se aparecer um candidato bom ali a gente apoia”, disse Bolsonaro.

    De acordo com o desembargador Gilberto Giraldelli, presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT), o partido Aliança pelo Brasil não está apto a lançar candidato para a eleição suplementar. Uma resolução publicada nesta semana pela Corte Eleitoral mato-grossense estabelece os prazos para a disputa suplementar.

    “Não há qualquer possibilidade tanto pela resolução aprovada pelo TRE, mas pela Constituição. O partido tem que estar com seu estatuto registrado no TSE com seis meses de antecedência e ele [Aliança pelo Brasil] está ainda em fase de aprovação. E não bastasse isso, o próprio candidato também tem que ter no minimo seis meses de filiação e como o partido não existe ainda formalmente não há como ser aproveitado nessas eleições”, enfatizou o magistrado.

    Apoio de Bolsonaro define eleição?

    A pesquisa mais recente sobre avaliação do governo Jair Bolsonaro é da Confederação Nacional dos Transportes (CNT/MDA) e foi divulgada na última quarta-feira (22). O levantamento mostra um índice de reprovação de 47% do governo, que é considerado bom ou ótimo para 34,5% dos entrevistados, regular para 32,1% e ruim ou péssimo para outros 31%. Já aprovação do desempenho pessoal ficou em 47,8%.

    Imagem: Antonio Galvan
    Antonio Galvan, presidente da Aprosoja-MT – Foto: Welington Sabino / AGORA MATO GROSSO

    Independente de pesquisas, em Mato Grosso há quem acredite que o efeito Bolsonaro registrado nas urnas em 2018 ainda continua e poderá ser fator decisivo na eleição suplementar. O representante do agronegócio, Antonio Galvan, atual presidente da Associação de Produtores de Soja e Milho (Aprosoja-MT), além de se colocar com pré-candidato à vaga pelo PDT, acredita que o candidato que tiver o apoio do presidente será eleito.

    “A onda Bolsonaro continua com certeza absoluta. O peso hoje de uma decisão dele de apoiar B ou C, e principalmente se for um candidato novo, que a mística que está colocada hoje é de você renovar”, disse Galvan.

    No entanto, ele avalia que o presidente deve ficar neutro na disputa. “Acredito que ele deva ficar quieto porque tem dois ou três possíveis candidatos que estão ligados direto a ele. Então, se ele chegar aqui nas minhas costas e falar: olhar eu apoio o fulano, com certeza isso faz diferença. Ou se ele chegar nas costas de outros possíveis candidatos que estão ai e sempre defenderam ele, sempre apoiaram ele dentro da política”, pondera.