03 de agosto de 2021
Mais
    Capa Notícias Mato Grosso Justiça Comunitária cria projeto de auxílio aos migrantes
    RONDONÓPOLIS

    Justiça Comunitária cria projeto de auxílio aos migrantes

    Cerca de 250 migrantes que deixaram o seu país em busca de melhores condições de vida e se instalaram em Rondonópolis (a 212 km da Capital) estão recebendo cestas básicas, vestuários e material de limpeza para enfrentar esta fase de isolamento social, devido à pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

    A iniciativa é do projeto “Vencendo as fronteiras”, idealizado pela coordenadora da Justiça Comunitária em Rondonópolis, juíza Maria Mazzarello. “O projeto nasceu ao analisarmos o quanto difícil deve ser enfrentar uma pandemia fora da sua pátria, longe de sua gente, e daqueles que pronunciam sua língua original. Então redigimos um texto e que tem sido compartilhado pela sociedade rondonopolitana e a resposta foi imediata”, afirma a magistrada.

    “São centenas de homens, mulheres e crianças que aqui chegaram e nosso olhar não questiona outros fatores que não o da assistência, o abraço materializado num alimento, agasalho, roupas, remédio, o que a generosidade lhe permitir aproximar-se dessa gente”, diz trecho do texto compartilhado nas redes sociais.

    O haitiano Jean Charles Rosemond, 37, veio da capital do Haiti, Porto Príncipe, para Mato Grosso há 3 anos, em busca de oportunidade de emprego, já que o Furacão Matthew destruiu o país e ele não conseguia uma colocação no mercado como técnico de laboratório.

    Em Rondonópolis, aprendeu português em um curso de quatro meses e conseguiu um emprego em uma fábrica de fertilizantes. No ano passado, a companheira Solange Giusepe, chegou. Hoje esperam o primeiro filho. “Graças a Deus estou empregado, mas enfrento atrasos de salário e as contas não param. Muitos haitianos estão parados e passando necessidade. O que for doado será muito bem vindo”, comenta.

    Um dos rondonopolitanos que atendeu ao chamado solidário foi o empresário Ronaldo Rodonetto, que doou 50 cestas básicas e ainda providenciou a entrega dos produtos. “Nós empresários estamos juntos com a juíza neste projeto para ajudar os migrantes que chegam a Rondonópolis”, afirma. “Parabenizo a juíza Maria Mazzarello, que vem fazendo a diferença em nossa cidade, sempre promovendo o bem para quem mais necessita”, completa o empresário.

    Maria Mazzarello lembra que os agentes comunitários identificaram três líderes comunitários de migrantes que se encontram em Rondonópolis e é por meio deles que a divisão e distribuição dos donativos ocorrem. Não há doação de dinheiro, apenas de mantimentos e solidariedade.