28 de julho de 2021
Mais
    Capa Notícias Mato Grosso Período proibitivo das queimadas rurais vai até 30 de setembro
    AUMENTO DE FOCOS

    Período proibitivo das queimadas rurais vai até 30 de setembro

    Desde o dia 1º de julho o Estado do Mato Grosso está no período proibitivo das queimadas rurais. Este ano, a data de início da medida foi antecipada, já que os números divulgados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) acenderam sinal de alerta, acusando acréscimo de 11,83% dos focos de calor no Mato Grosso entre janeiro e maio em comparação com os mesmos meses de 2019.

    “O adiantamento do período proibitivo deve-se justamente ao crescimento da incidência desses focos, além de estarmos vivendo a pandemia de coronavírus.”, explica a secretária de Meio Ambiente de Rondonópolis, Rhayenne Oliveira. Segundo ela, as queimadas agridem não apenas a natureza, mas também a saúde humana. “A fumaça prejudica o meio ambiente e afeta os pulmões e a respiração das pessoas. Então, essa ação preserva ambos dos danos causados pelo fogo”, acentua.

    Rhayenne atribui o aumento das chamas a vários fatores: “Houve uma alteração climática muito grande, nos últimos anos, no Mato Grosso, com mudança, inclusive, do período chuvoso. Aliado a isso, temos a falta de consciência da população”. A gestora comenta que, empenhada em promover a educação ambiental dos munícipes, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma) realiza campanhas que, agora, estão ocorrendo apenas pelas redes sociais, já que o surto de Covid-19 impede aproximações físicas.

    Com término marcado para 30 de setembro, o período proibitivo é específico para a zona rural, já que, na área urbana, as queimadas são vetadas durante o ano inteiro. De acordo com a titular do Meio Ambiente, essa é a época escolhida para a restrição por ser o momento em que há queda dos índices pluviométricos, imperando a estiagem. “Sem chuva, o mato fica seco e é fácil a combustão”, ressalta.

    Cabe à Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) a fiscalização da região rural, ao passo que a cidade fica a cargo da Semma, que atua em conjunto com o Ministério Público, o Juizado Volante Ambiental (Juvam) e o Corpo de Bombeiros para coibir incêndios.

    “Donos de terrenos baldios devem promover sua limpeza permanente e aqueles que possuem quintal em casa devem conservá-lo, retirando folhas secas de árvores, que podem ser utilizadas para fazer compostagem ou colocadas em uma sacola e depositadas para coleta da mesma forma que o lixo produzido na residência. Outra opção é levá-las ao Ecoponto”, orienta Rhayenne, que ainda avisa: “Se for pego em flagrante ateando fogo, o autor será penalizado com multa, além de responder a processo judicial no Juvam. Caso não haja flagrante, o proprietário será o responsável pela ação”.

    Denúncias podem ser feitas de segunda a sexta-feira, das 7h às 18 horas, pelos telefones 3422-6556 ou 9 9234-4005.