20 de setembro de 2020
Mais
    Capa Destaques Júlio Campos reconhece 'racha' do DEM na eleição para senador
    SEM FIDELIDADE

    Júlio Campos reconhece ‘racha’ do DEM na eleição para senador

    Em Sinop, cidade de Nilson Leitão, o Democratas anunciou o rompimento político com ele

    Imagem: Leitao e Julio Júlio Campos reconhece 'racha' do DEM na eleição para senador
    Foto: Pedro Couto / AGORA MT

    O ex-governador Júlio Campos (DEM), cotado para 1ª suplência na chapa de Nilson Leitão (PSDB) na disputa suplementar ao Senado Federal por Mato Grosso reconheceu que o partido dele entra no pleito dividido.

    “Eu sou o único que poderia cobrar fidelidade do Partido, mas penso que na democracia as pessoas são livres e o diretório tem que entender isso”, enfatizou Júlio Campos.

    Os questionamentos foram feitos uma vez que ele foi anunciado como suplente de Leitão e nomes importantes do Partido declararam apoio a outros candidatos.

    O presidente da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho, declarou apoio a Otaviano Pivetta (PDT). “Mas tenho certeza que se o Pivetta desistir da disputa o Botelho irá nos apoiar”, brincou Campos, lembrando que o governador Mauro Mendes pretende apoiar Carlos Fávaro (PSD).

    Só que o racha não se limita aos ‘caciques’ da legenda. Em Sinop, cidade de Nilson Leitão, o Democratas anunciou o rompimento político com ele, após décadas de parcerias nas disputas locais e estaduais.

    A diretoria por lá, já anunciou que apoia a pré-candidatura de Juarez Costa a Prefeitura, adversário político de Leitão.

    O DEM teria prioridade para escolher o vice na chapa de Juarez, que é filiado ao MDB.

    Júlio Campos era pré-candidato na disputa suplementar para senador, mas como tem uma saúde frágil e já passou por transplante, ele decidiu recuar e aceitar a suplência de Leitão.

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS