21 de setembro de 2020
Mais
    Capa Notícias Manchete Preço do arroz dispara e consumidor pode pagar até R$ 30 por...
    EM MATO GROSSO

    Preço do arroz dispara e consumidor pode pagar até R$ 30 por 5kg

    A resposta para esse aumento pode estar na pandemia do novo coronavírus. Com as famílias ficando mais tempo em casa, cresceu o consumo interno de arroz no Brasil

    O arroz é um alimento protagonista da mesa do brasileiro, perfeito com o feijão e complemento indispensável em muitos outros pratos. Porém, o aumento no preço do produto em supermercados de Mato grosso, deve assustar muitos consumidores nos próximos.

    Em alguns supermercados de Rondonópolis o pacote de 5 quilos já está sendo comercializado por mais de R$ 22. A previsão é que esse valor possa chegar à casa dos R$ 30 até dezembro.

    Imagem: Preco do arroz Preço do arroz dispara e consumidor pode pagar até R$ 30 por 5kg
    Preço do arroz em um supermercado de Rondonópolis. Foto: Varlei Cordova/AGORA MT

    A resposta para esse aumento pode estar na pandemia do novo coronavírus. Com as famílias ficando mais tempo em casa, cresceu o consumo interno de arroz no Brasil e também em outros países. Isso fez com que o preço do pacote de 5 kg saísse dos habituais R$ 13 a R$ 14 para chegar a R$ 22 ou mais.

    O aumento na alta do dólar, e a entressafra do grão, juntamente com redução da produção nacional e crescimento das exportações também pode estar na lista para esse aumento.

    Conforme o Sindicato da Indústria do Arroz em Mato Grosso a pandemia e ao aumento no dólar podem ter gerado esse aumento.

    “O preço do arroz no segundo semestre é mais caro mesmo, por causa da entressafra. Porém, a pandemia de covid-19 mexeu muito com o consumo, que aumentou. Isso no mesmo ano em que houve um enxugamento da safra. Estamos também com o dólar em alta, que provoca dois efeitos: primeiro, é que ele barra a entrada do arroz importado e outro é que ele, como regulador de preço do principal mercado do país, Santa Catarina, perde o efeito dessa função”, explica Rodrigo dos Santos Mendonça do Sindarroz-MT.

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS