24 de setembro de 2020
Mais
    Capa Destaques Vila Operária vai ganhar unidade da PM
    REIVINDICAÇÃO

    Vila Operária vai ganhar unidade da PM

    Recursos começam a ser viabilizados pelo senador Wellington

    Imagem: Senador e secretario Vila Operária vai ganhar unidade da PM
    Foto: Da assessoria

    A região da Vila Operária, em Rondonópolis, deve ganhar uma companhia independente da Polícia Militar. Os primeiros recursos para a obra estão sendo viabilizados pelo senador Wellington Fagundes (PL-MT) por meio de emenda parlamentar ao Orçamento da União. O assunto foi discutido nesta segunda-feira (14) durante reunião entre o senador, o secretário de Segurança do Estado, Alexandre Bustamante, e comandantes das forças de segurança do Estado.

    A criação da companhia independente é reivindicada pelo próprio comando da PM, que aponta a grande densidade de bairros na região – quase 80 – e o número de habitantes. Além disso, a região registra grande movimento no comércio e instituições financeiras.

    Além da Vila Operária, a companhia independente também atenderia os municípios de Guiratinga e São José do Povo.

    Para a criação da sede, a PM já conta com viaturas e efetivos disponíveis.

    Durante a reunião, o senador também falou sobre a possibilidade do Corpo de Bombeiros de Mato Grosso ganhar um helicóptero que será utilizado no resgate em casos de acidentes e no combate ao fogo. A reivindicação já foi levada pelo senador ao ministro da Justiça, André Mendonça, que informou sobre a existência de dois helicópteros apreendidos. “Um desses, poderá vir para Mato Grosso”, prevê.

    Na reunião, o senador também falou sobre a criação da Comissão Especial do Senado, composta por quatro senadores, que deve visitar a região do pantanal neste final de semana para ver a situação das queimadas e discutir a elaboração de uma legislação que evite que o problema se repita nos anos futuros.

    Já o secretário de Segurança apresentou vários projetos ao senador, que deve avaliá-los para ver a possibilidade de incluir recursos no Orçamento Geral da União, que começa a ser discutido pelo Congresso Nacional.

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS