29 de novembro de 2020
Mais
    Capa Notícias Brasil Assassino do ator Rafael Miguel tirou RG falso durante fuga
    FORAGIDO DA JUSTIÇA

    Assassino do ator Rafael Miguel tirou RG falso durante fuga

    Paulo Cupertino conseguiu emissão de documento com o nome de Manoel Machado da Silva em um instituto de identificação do Paraná

    O empresário Paulo Cupertino, que matou o ator Rafael Miguel e os pais do jovem há mais de um ano, tirou um RG original, com nome falso, durante a fuga. Ele foi pessoalmente a um posto do instituto de identificação do Paraná, tirou foto no local, cedeu as digitais e saiu com uma nova identidade, que deve ter ajudado na saída do país.

    O documento é a última pista oficial que a polícia tem da fuga dele. O crime aconteceu em São Paulo no dia nove de junho do ano passado. Cupertino atirou treze vezes nas vítimas em frente de casa. Depois, nunca mais foi visto. Ele não aceitava o namoro da filha Isabela com Rafael.

    Cupertino usou o nome de Manoel Machado da Silva. Na foto, ele aparece com o cabelo curto, todo penteado para trás, diferente do cabelo comprido de quando fugiu. Cupertino também deixou a barba crescer.

     

    Imagem: PAULO Assassino do ator Rafael Miguel tirou RG falso durante fuga

     

    Na carteira de identidade, Manoel Machado da Silva é filho de Carlos Pereira da Silva e Maria Gomes Machado da Silva. Enquanto os nomes dos verdadeiros pais de Cupertino são Manoel Matias Sobrinho e Amélia Cupertino. O número do CPF informado também não é o dele.

    Cupertino foi denunciado pelo MP-SP (Ministério Público de São Paulo) em junho deste ano. Em setembro de 2019, a Secretaria de Segurança Pública afirmou que Cupertino também foi incluído lista de procurados pela Interpol.

    Segundo a investigação, Cupertino teria passado por mais de 300 endereços em 10 estados e dois países da América do Sul. O delegado Bruno Tessari, que investiga o caso, pediu a prisão preventiva de Cupertino no dia 3 de junho deste ano, após interrogar dois amigos do suspeito, que contaram como ajudaram o homem a fugir de São Paulo logo depois do crime. A dupla também foi denunciada pelo MP.

    O caso

    O ator Rafael Henrique Miguel, de 22 anos, e os pais do rapaz, João Alcisio Miguel, de 52 anos, e Miriam Selma Miguel, de 50 anos, morreram baleados no dia 9 de junho do ano passado na Estrada do Alvarenga, na região de Pedreira, zona sul de São Paulo. O jovem era conhecido por ter interpretado o personagem Paçoca na novela Chiquititas.

    Rafael, acompanhado dos pais dele, foi até a casa de sua namorada, Isabela Tibcherani, conversar com o pai dela, Paulo Cupertino, sobre o namoro. A família foi recebida pela jovem e pela mãe dela. Quando Cupertino chegou ao local, armado, atirou nas três vítimas que estavam no portão da casa.

    Cupertino disparou 13 vezes contra a família do namorado da filha. Sete acertaram Rafael. O pai do rapaz foi atingido 4 vezes e a mãe foi baleada no peito e no ombro. Os três morreram no local.

     

     

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS