02 de dezembro de 2020
Mais
    Capa Destaques Candidatos fazem segunda prestação de conta à Justiça Eleitoral
    SUCESSÃO MUNICIPAL

    Candidatos fazem segunda prestação de conta à Justiça Eleitoral

    Prestação de contas é uma exigência da Justiça Eleitoral e todos os candidatos são obrigados a fazê-la

    Imagem: candidatos Candidatos fazem segunda prestação de conta à Justiça EleitoralOs candidatos a prefeito de Rondonópolis fizeram a sua segunda declaração de arrecadação e despesas de suas campanhas eleitorais. As informações financeiras dos candidatos podem ser acessadas no site Divulgacand, da Justiça Eleitoral, e o campeão de arrecadação e despesas é o atual prefeito e candidato à reeleição José Carlos do Pátio, da coligação “Rondonópolis nos Trilhos do Desenvolvimento Econômico e Social” (SD, PP, PTB, Rede, PSD, PCdoB e PV).

    Em sua primeira prestação de contas, Pátio tinha declarado uma receita de R$ 540 mil em doações, não tendo declarado nenhum gasto. Na segunda prestação de contas, ele declarou uma receita de R$ 1.174.300, tendo declarado gastos R$ 1.630.972,48, ou seja: sua campanha gastou R$ 456.672,48 a mais do que arrecadou.

    O segundo que mais arrecadou foi o candidato Luiz Fernando Carvalho, o Luizão, da coligação “Chegou a Hora de Mudar” (Republicanos, PSL e PSDB), que na sua primeira prestação de contas declarou ter arrecadado R$ 515.180, valor que saltou para R$ 617.180 na segunda prestação de contas, com gastos declarados de R$ 718.729,98, tendo acumulado um déficit de R$ 101.549,98.

    Na sequência, vem o candidato Thiago Muniz, da coligação “Unidos para crescer” (PSC, DEM, PDT, PSB e MDB), que declarou na primeira prestação de contas ter arrecadado R$ 290 mil, valor que saltou para R$ 306.060, tendo declarado gastos de R$ 629.329,20, acumulando um déficit de R$ 323.269,20.

    Cláudio Ferreira, da coligação “Quando os justos governam, o povo se alegra” (DC e Patriotas) declarou na sua primeira prestação de contas que arrecadou R$ 228.440 e não declarou nenhuma despesa no sistema. Em sua segunda prestação de contas, ela declarou ter arrecadado R$ 238.985, mas declarou ter gastado R4 270.802,02, acumulando déficit de R$ 31.817,02.

    Vanderlei Bonoto, do PRTB, declarou ter arrecadado R$ 79.300 em sua primeira prestação de contas, valor que saltou para R$ 231.565 na sua segunda prestação de contas, na qual ele declarou ter gastado R$ 112.100,99.

    O candidato do PT, Kleber Amorim, que anteriormente não tinha apresentado nenhuma prestação de contas, dessa vez declarou ter arrecadado R$ 49.690, tendo gasto R$ 101.000, um déficit de R$ 51.310.

    Outro que não tinha apresentado nenhuma prestação de contas era Kleison Teixeira, do PSOL, que dessa vez declarou ter arrecadado R$ 16.587,18 e gastado R$ 7.528,50 até o momento.

    Candidato do Cidadania, Ubaldo Barros também não tinha declarado nenhuma receita e nem despesas, agora declarou ter recebido doações de R$ 50 mil, mas não registrou nenhuma despesa.

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS