25 de novembro de 2020
Mais
    Capa Destaques Medeiros diz que Brasília fica com maior parte do bolo e municípios...
    ELEIÇÃO SUPLEMENTAR

    Medeiros diz que Brasília fica com maior parte do bolo e municípios com “farelo”

    O candidato defendeu a eleição de um senador que tenha em vista representar os interesses de Mato Grosso

    O candidato ao Senado, José Medeiros, do Podemos, defendeu a eleição de um senador já conhecedor dos trâmites em Brasília, para que o estado não fique prejudicado em questões fundamentais atualmente em discussão na capital federal, como a Reforma Tributária. Para ele, caso se eleja alguém inexperiente ou que não represente os interesses do estado, Mato Grosso pode ser prejudicado.

    Atualmente à frente do mandato de deputado federal recém conquistado, Medeiros diz que pretende ser senador para representar os interesses de Mato Grosso em discussões como a Reforma Tributária, que deve rediscutir a questão do Pacto Federativo, possivelmente alterando os percentuais dos impostos que caberão a cada município e estados brasileiros. “Mato Grosso vai precisar muito de um parlamentar realmente comprometido com o estado nesse momento, porque nós passamos por uma tragédia de saúde pública e econômica, que é essa pandemia, e log vamos aprovar uma reforma tributária, e o Brasil pretende fazer uma retomada do emprego,  da economia, e Mato Grosso precisa arrancar junto”, defendeu.

    Imagem: Jose Medeiros candidato Medeiros diz que Brasília fica com maior parte do bolo e municípios com “farelo”
    “Lá fica com uma fatia grande do bolo e nos municípios só chega farelo”, disparou José Medeiros, defendendo uma melhor divisão do bolo tributário – Foto Varlei Cordova/AgoraMT

    Ele diz entender que o estado, que é uma das “locomotivas” da economia nacional, precisa ter um senador com experiência, para que não fique prejudicado numa possível redistribuição do bolo tributário do país. “Essa máxima do mais Brasil e menos Brasília ela tem que ser real. Antigamente se falava em crescer o bolo em Brasília para depois dividir, mas com o tempo passou a vir só o farelo. Em Brasília você vê avenidas largas, uma infraestrutura extraordinária, os servidores ganham horrores, porque o dinheiro de Brasília, do município de Brasília, (é tirado) direto na veia do Governo Federal. Mas isso não é a realidade dos municípios brasileiros. Então, lá fica com uma fatia grande do bolo e nos municípios só chega farelo”, disparou.

    Entre suas propostas, Medeiros diz que irá lutar pela equidade entre os estados, mas essa luta é desigual na Câmara dos Deputados, onde estados como São Paulo tem quase dez vezes mais representantes que Mato Grosso. “Por isso a importância do Senado, por que ali todo mundo chora igual, todo mundo tem três senadores. E aí, vale a competência, vai se sobressair os estados que tiverem melhores representantes. O cara que for para lá não pode ser o representante de uma pessoa ou de um segmento, tem que ser realmente um representante do estado. Eu vejo candidato que não sabe nem o que se faz lá e confunde com o trabalho de deputado, no varejo”, completou.

    O candidato lembra que há uma proposta sendo debatida em Brasília que quer acabar com o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), que seria substituído pelo Imposto sobre o Valor Agregado (IVA), que unificaria os impostos e seria cobrado do consumidor final,  mas ele já  encontrou distorções que podem prejudicar Mato Grosso, como no caso do excedente da energia elétrica que o estado vende para outros estados. Isso seria uma segunda Lei Kandir e já me falaram em bolar uma compensação, mas não é isso que defendemos. A compensação da lei Kandir é um parto de gato. Há tempos já há um entendimento de que essa lei já trouxe o desenvolvimento para Mato Grosso e o governo não quer mais pagar o FEX, que é a compensação. O que nós queremos é um cálculo bem claro de quanto vai para cada um e que lá do supermercado mesmo já vá para cada ente federado, sem precisar ir pra Brasília”, concluiu José Medeiros.

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS