02 de dezembro de 2020
Mais
    Capa Destaques Thiago Muniz critica gestão de Pátio na pandemia
    SUCESSÃO MUNICIPAL

    Thiago Muniz critica gestão de Pátio na pandemia

    Para ele, o prefeito não investiu o dinheiro recebido do Governo Federal de forma correta, na prevenção e tratamento dos pacientes infectados

    Crítico da atual administração municipal, o candidato Thiago Muniz, da coligação “Unidos para crescer” (PSC, DEM, PDT, PSB e MDB), disparou contra a gestão do município durante a pandemia. “É nos momentos de crise que a gente percebe e tem certeza do líder que a gente tem. E o prefeito de Rondonópolis na pandemia deixou comprovado a falta de gestão, falta de responsabilidade com as pessoas, com a aplicação do dinheiro público. Recebeu muito dinheiro, e é bom o cidadão atentar para isso, porque a cidade nunca recebeu tanto dinheiro como agora em 2020. Só para combater o coronavírus foram R$ 70 milhões e a gente não vê um leito de UTI sendo montado”, apontou.

    Para Muniz, a administração poderia ter desenvolvido campanhas orientativas e de prevenção contra a doença, faltou diálogo e parcerias com empresários da cidade, que chegaram inclusive a realizar testes rápidos em praça pública na cidade, além de investir na aquisição de equipamentos e estrutura para a saúde pública. “Para se ter uma ideia, um tomógrafo custa R$ 2 milhões e o governo municipal recebeu R$ 70 milhões. Com o tomógrafo, o médico faz uma tomografia do cidadão em três minutos. E a tomografia do pulmão é o método mais eficaz para detectar a doença. Se a prefeitura tivesse investido com responsabilidade esse recurso, em 30 dias teríamos testado toda a população que foi infectada na cidade, que foram mais de 10 mil pessoas”, explanou.

    Imagem: Thiago Muniz candidato Thiago Muniz critica gestão de Pátio na pandemia
    “O prefeito atual deu o que tinha que dar. Ele é isso aí mesmo, governa para 25% da cidade”, disparou Thiago Muniz – Varlei Cordova / AGORA MT

    Para comprovar o que diz, ele cita o caso da cidade de Montes Belos (GO), cidade com quase meio milhão de habitantes, onde o número de mortes em decorrência do novo coronavírus é bem menor que Rondonópolis, onde já morreram 322 pessoas vitimadas pelo vírus. “Isso mostra a capacidade de gestão em momentos de crise. Eu não tenho dúvida que nós precisamos de um prefeito que tenha uma visão de desenvolvimento e de gestão, de administração com transparência, com responsabilidade e principalmente unindo a todos para que possamos voltar a crescer e nos desenvolver”, afirmou.

    Sobre uma possível polarização entre seu nome e do atual prefeito José Carlos do Pátio, da coligação “Rondonópolis nos Trilhos do Desenvolvimento Econômico e Social” (SD, PP, PTB, Rede, PSD, PCdoB e PV), Thiago Muniz prefere não comentar a possibilidade e diz que seu foco será unir a cidade novamente.  “O prefeito atual deu o que tinha que dar. Ele é isso aí mesmo, governa para 25% da cidade. Eu quero ser um prefeito de todos, vou ser um prefeito que vai cuidar da cidade, do povo como um todo, sem divisão, unindo as pessoas. O prefeito atual teve a oportunidade dele e fez o que achou que tinha que fazer, e eu percebo que a maioria dos cidadãos não vê futuro com ele mais quatro anos”, disparou.

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS