02 de dezembro de 2020
Mais
    Capa Blogs Entendendo Direito Black Friday 2020 e o consumidor | Entendendo Direito

    Black Friday 2020 e o consumidor | Entendendo Direito

    Imagem: Black FridayBom dia, boa tarde, boa noite, boa madrugada pessoal, apertem os cintos, as emoções desse ano louco ainda não acabaram, continuem se protegendo, ainda temos uma caminhada até toda essa loucura acabar.

    Hoje buscarei dar alguns esclarecimentos de forma simples e objetiva sobre essa promoção americana que se tornou mundial, mas deixando claro as diferenças, e principalmente os cuidados que você tem que ter no Brasil, e também seu direito.

    Primeira coisa, esqueça os super descontos de produtos como você vê nos Estados Unidos sobre os preços originais dos produtos físicos, 30%, 40% sobre os preços originais no Brasil é impossível.

    Aqui tudo é muito caro devido aos impostos, e ao custo do empresário para trabalhar no país, nos Estados Unidos como há menos impostos e os custos são menores, é possível reduzir drasticamente o lucro na black Friday, para ganhar no volume de vendas.

    No Brasil costumamos brincar que é a “black fraude, tudo pela metade do dobro”, ok agora que você já sabe que em produtos físicos os descontos não são sobre os preços originais, e sim sobre valores inflacionados, que ao final o desconto real é muito menor, podemos falar dos produtos não físicos.

    Nesse tipo de produto os descontos costumam ser reais,  cursos, vídeos, acesso a plataformas, etc devido ao baixo custo de produção e praticamente ao custo zero de estocagem os descontos de 30%; 40% costumam ser sobre o valor real do produto .

    Agora vamos aos seus direitos para não comprar gato por lebre.

    • Fique atento, as compras nas lojas físicas não têm direito de troca garantida, a loja pode ou não fazer isso dependendo da “politica” do fornecedor
    • Faça o teste de produto na própria loja sempre que possível , as lojas vão alegar quase sempre que o produto estava em perfeito estado, e vão lhe dar a garantia do produto, e não um produto novo.
    • Fique atento ao valor do frete, ou cobranças adicionais de qualquer natureza, qualquer falha ou oferta truncada ou confusa é sinal de má fé do fornecedor, evite a compra nesse caso.
    • Faça provas das ofertas que está negociando, um folheto, um print da tela, ajude o juiz a proteger você tendo provas da negociação.
    • Caso tenha algum problema com a loja, envie a reclamação por escrito, de preferência e-mail, para de novo fazer provas.
    • Busque pesquisar se o lugar que está comprando costuma ser bem ou mal avaliado pelos consumidores na internet.

    Boas compras, caso precise procure o seu advogado ele saberá o que fazer.

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS