18 de abril de 2021
Mais
    Capa Destaques Ex-prefeito de Tangará morre por complicações do coronavírus
    ATUALIZAÇÃO

    Ex-prefeito de Tangará morre por complicações do coronavírus

    Ele teve Covid-19 e se recuperava de uma cirurgia no estômago em casa

    Imagem: saturnino masson 1 Ex-prefeito de Tangará morre por complicações do coronavírus
    Saturnino Masson tinha 76 anos e deixa três filhos – Foto Divulgação

    O ex-deputado estadual e prefeito da cidade de Tangará da Serra, Saturnino Masson, morreu na manhã de hoje (7), em decorrência de complicações da Covid-19. Ele é pai do atual prefeito da cidade, Vander Masson (PSDB) e recentemente estava internado em um hospital de Cuiabá, de onde foi liberado a poucos dias e se recuperava em sua casa.

    De acordo com informações apuradas pelo Portal AgoraMT, ele foi infectado pela Covid-19 em outubro passado, e teve que passar por uma cirurgia no estômago por conta das complicações da doença no mês de dezembro e seguia se recuperando, mas não resistiu e acabou falecendo.

    Saturnino Masson tinha 76 anos, era pioneiro da cidade e suplente do deputado Carlos Avalone, cassado por abuso do poder econômico e caixa 2 na eleição de 2018.

    LUTO OFICIAL

    O governador Mauro mendes (DEM) lamentou a morte do político por meio de nota e declarou que irá decretar Luto Oficial por três dias.

    “O Estado de Mato Grosso perde uma grande personalidade política e um pioneiro em Tangará da Serra. Desejamos que Deus dê forças aos familiares e amigos para superar esse momento tão difícil”, disse o governador.

    ATUALIZAÇÃO

    O ex-prefeito Saturnino Masson estava em casa, em Tangará, se recuperando de uma cirurgia, quando sofreu um infarto agudo do miocárdio, indo a óbito.

    Saturnino passou, no dia 25 de dezembro, por uma cirurgia de vídeo para retirada de uma diverticulite, que é uma inflamação na parede interna do intestino, permanecendo hospitalizado até o início do ano, em Cuiabá. Após receber alta médica, ele se recuperava em casa, onde teve o infarto nesta manhã. Ele deixa filhos, netos e bisnetos.

    VELÓRIO E SEPULTAMENTO

    O corpo de Saturnino Masson será velado na tarde desta quinta-feira, 07, entre as 15h e as 20h, e amanhã, entre as 6h e as 9h, no Centro Municipal de Ensino José Nodari, na Avenida Ismael José do Nascimento (Rua 01). O sepultamento será às 9h da manhã no Cemitério Municipal Jardim da Paz, em Tangará da Serra, obedecendo às normas sanitárias.

    BIOGRAFIA

    Filho de Ângelo Masson e Rosa Priotto, Saturnino Masson é quarto descendente de uma grande família, que no Estado de Mato Grosso fez uma linda história. Nascido na cidade de Tanabi, em São Paulo, Saturnino Masson ficou no município até completar oito anos, quando a família se mudou para Jales, ficando lá por mais 10 anos.

    Em 1963 novamente uma mudança. A família toda decide mudar-se para Mato Grosso, especificamente para o município de Nova Olímpia. “Veio toda a família. Nós éramos uma família de pai, mãe e 10 filhos”, recorda, ao destacar que dos irmãos, dois eram casados e ficaram em São Paulo. Além deles, o tio José Masson, com seus filhos, também se muda para Mato Grosso.

    No estado de São Paulo a família tinha uma propriedade de 28 alqueires e veio para Mato Grosso em busca de terras maiores. “Meu pai dizia que tinha bastante filho e então tinha que ter bastante terra para todos trabalharem”. Assim, a família se muda para a pequena Nova Olímpia, ainda Distrito de Barra do Bugres. Saturnino chegou ao Mato Grosso com apenas 18 anos. “De Cuiabá para cá não tinha nada. Trechos de estradas boas, trechos de estradas ruins, como um carreador (…) A passagem por Barra do Bugres, no Rio Paraguai, era em uma balsinha. Quando dava uma época de estiagem muito forte, como de agora, passávamos com o caminhão dentro do rio. Cheguei a passar de caminhão dentro do rio. Mas, do contrário, era na balsinha”, relembra, saudoso, ao contar das dificuldades de desbravar o interior do Estado de Mato Grosso.

    Assim, por sete anos Saturnino Masson residiu na vizinha Nova Olímpia, quando, em 1970, já casado, se muda para Tangará da Serra, enquanto os irmãos e pais, permaneceram na cidade.

    Saturnino foi casado com Neide dos Santos, com quem teve três filhos: Vander e Rose, que nasceram em Nova Olímpia, e Mara, que é filha de Tangará da Serra. São ainda avós de cinco netos: Guilherme, Gustavo, Gabriela, Rafael e Gabriel; e dois bisnetos.

    De Nova Olímpia a Tangará – Saturnino sobe a Serra Tapirapuã

    Trabalhando nos negócios da família em Nova Olímpia (pai tinha uma cerealista, além de fazendas), Saturnino Masson viu em Tangará da Serra uma oportunidade de crescimento maior ainda.

    A mudança para o município foi motivada por um convite do Governo do Estado de Mato Grosso para gerenciar a Companhia de Armazéns e Silos (Casemat) – extinta e incorporada à Empaer em 1998.

    Na época, segundo Saturnino, os produtores estavam produzindo bastante milho, feijão, arroz, café, e não tinha muitos compradores. “Então o Governo, naquela época, adquiria esse produto do pequeno produtor. E eu fui convidado para vir para Tangará gerenciar o armazém onde recebia esse produto dos pequenos produtores, a antiga Casemat”. Neste serviço ficou cerca de um ano, quando então, vislumbrando um nicho de mercado em crescimento, investiu naquela que se tornou a empresa Alimentos Masson, iniciando com a compra e venda de cereais (arroz, feijão, café, milho) no atacado e desde 1989 com empacotamento e distribuição do Feijão Masson.

    Saturnino lembra que neste início da empresa trouxe seu irmão Fausto Masson para trabalhar com ele e com tempo, Fausto tocou seu próprio negócio. Hoje a família é responsável pelos negócios da empresa que atua no mercado de cereais há 48 anos.

    Saturnino e a política

    Paulista de nascimento, mas morador de Tangará da Serra desde 1970, o empresário do setor agrícola, Saturnino Masson, entrou para a política pública há 37 anos. Desde então, já exerceu os cargos de vice-prefeito, prefeito, suplente de deputado federal e deputado estadual.

    Tudo começou com seu pai e tio, Ângelo e José Masson, respectivamente, que foram vereadores em Barra do Bugres na década de 70, representando o pequeno distrito de Nova Olímpia. Caminhando junto, Saturnino aprendeu com eles a trabalhar pelo povo.

    Assim, na segunda eleição na recém emancipada Tangará da Serra, em 1982, Saturnino se lança candidato. Na oportunidade ele pleiteou o cargo de prefeito, pelo PDS, tendo como seu vice Décio Burali. Eles perderam a eleição para Antonio Porfírio de Brito, que exerceu o cargo de 1983 a 1988.

    Em 88 Tangará vive sua terceira eleição, sendo a disputa levada por Manoel Ferreira de Andrade e Saturnino Masson, prefeito e vice. Já em 1992, Saturnino se candidata ao cargo de prefeito de Tangará da Serra e ganha as eleições, exercendo o mandato de 1993 a 1996. Masson conta que foi na administração municipal, em Tangará da Serra, que o primeiro hospital público foi construído, além de postos de saúde e rede de esgoto. Os primeiros 20 quilômetros de esgotamento da cidade foram construídos, durante a atuação dele como administrador, na década de 1990.

    Além disso, assumiu a prefeitura no dia 1º de outubro de 2011 para exercer mandato tampão em Tangará da Serra. Ele obteve 7 dos 10 votos dos vereadores da cidade na primeira eleição indireta da história de Mato Grosso, já que o prefeito Júlio Ladeia (PR) e o vice José Jaconias (PT) foram cassados por falta de decoro. Masson ficou no mandato tampão por um ano e três meses.

    Saturnino Masson trabalhou também por Mato Grosso, como deputado Federal e Estadual. Como suplente de Federal, ele exerceu o mandato na Legislatura 2007-2011, e assumiu a cadeira de 13 de março a 11 de julho de 2008, em virtude do afastamento da Deputada Thelma de Oliveira.

    Já como deputado Estadual, eleito com 16.262 votos pelo PSDB, exerceu mandato completo de 2015 a 2018 e atualmente – 2019/2022, como primeiro suplente do partido, assumiu vaga na Assembleia Legislativa no dia 3 de setembro, em substituição ao deputado Carlos Avalone (PSDB), que pediu 120 dias de afastamento das funções.

    “Trabalhei e tenho certeza que ajudei a gestão da época, tanto como prefeito, como vice-prefeito, suplente de deputado federal e como deputado estadual, tenho certeza que a gente contribuiu com esta cidade. A cada rua que a gente anda, a cada bairro, você vê algo que fez. Serviços prestados no município inteiro”, se orgulha Saturnino.

    “Para mim que sou de origem da roça, criado no campo, é gratificante ver esse crescimento, ver Tangará da Serra crescer. Uma grande honra poder ter contribuído e ainda contribuir com Tangará da Serra e também para Mato Grosso, não somente com ações políticas, mas também com a contribuição empresarial”.

    Além do tio e pai, Saturnino tem também na família o irmão Cristóvão Masson que foi prefeito de Nova Olímpia entre 2013 a 2016, e também seu filho, Vander Masson, que hoje [na época] é suplente de Deputado Federal.