18 de abril de 2021
Mais
    Capa Destaques Liminar determina reabertura de postos de saúde no prazo de 12 horas
    SÃO JOSÉ DOS QUATRO MARCOS

    Liminar determina reabertura de postos de saúde no prazo de 12 horas

    Para caso de descumprimento, foi estipulada multa diária de R$ 5 mil até o limite máximo de R$ 50 mil

    Imagem: Posto de saude Liminar determina reabertura de postos de saúde no prazo de 12 horas
    Reprodução

    Após requerimento do Ministério Público do Estado de Mato Grosso, a Justiça deferiu liminar determinando que o Município de São José dos Quatro Marcos (a 315km de Cuiabá) reabra e estabeleça funcionamento contínuo de todas as Unidades Básicas de Saúde da cidade, no prazo de 12 horas. Para caso de descumprimento, foi estipulada multa diária de R$ 5 mil até o limite máximo de R$ 50 mil. A decisão é da noite de quinta-feira (7), do plantão judiciário, e o prazo começa a contar a partir da notificação do polo passivo.

    A ação civil pública de obrigação de fazer com pedido de liminar foi proposta pela 1ª Promotoria de Justiça Criminal de Mirassol D’Oeste, no dia 6 de janeiro de 2021. O promotor de Justiça plantonista Elton Oliveira Amaral ajuizou a demanda ao tomar conhecimento de que as Unidades Básicas de Saúde no âmbito do SUS municipal estariam fechadas até o dia 25 de janeiro, em atendimento a um Decreto Municipal, e confirmar por meio de diligências que os quatro postos de saúde da cidade estavam sem atendimento ao público.

    “Estancar o funcionamento da UBS é fechar as portas de acesso ao SUS à população, consequentemente. Vale dizer, não pode tal serviço essencial sofrer abrupta interrupção sob o argumento de transição da equipe de governo”, argumentou o promotor de Justiça, destacando que o fechamento revela afronta ao direito básico do cidadão, “mais ainda quando se está diante de uma pandemia mundial”.

    Ao conceder a liminar, o juiz plantonista Cláudio Deodato Rodrigues Pereira considerou que “é do conhecimento de todos que o cenário mundial atual é de pandemia causada pelo novo coronavírus (Covid-19), motivo que reforça o acesso à saúde como serviço essencial à população, princípio fundamental estampado na Constituição Federal, não se mostrando razoável o fechamento das Unidades Básicas de Saúde do Município para organização interna”.