23 de março de 2021
Mais
    Capa Notícias Brasil Ministério estima remoção de cerca de 1,5 mil pacientes de Manaus
    SAÚDE

    Ministério estima remoção de cerca de 1,5 mil pacientes de Manaus

    Objetivo é equilibrar demanda e oferta por leitos, diz ministro

    O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, disse hoje (26) que o governo federal espera transferir do Amazonas para outros Estados cerca de 1,5 mil pacientes infectados pelo novo coronavírus.

    “Nosso objetivo é chegar a algo em torno de 1,5 mil pessoas removidas”, afirmou Pazuello. “Isso é para que possamos equilibrar a demanda e a oferta por leitos em Manaus”, afirmou o ministro. Ele disse que perto de 300 pessoas já foram transportadas em aviões da Força Aérea Brasileira (FAB).

    Segundo o último balanço divulgado pelo governo do Amazonas, a lotação de hospitais públicos e privados de todo o Estado em decorrência do aumento do número de casos, após as festas de fim de ano, motivou a transferência de 277 pacientes para 11 Estados: Acre, Alagoas, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí e Rio Grande do Norte e para o Distrito Federal.

    Ao discursar ao lado do governador do Amazonas, Wilson Lima, o ministro Pazuello disse que “o salto da contaminação” pelo novo coronavírus verificado neste início de ano é fruto de uma “situação completamente desconhecida” que fez com que o número de casos da doença quase triplicasse de forma “muito rápida”.

    Segundo Pazuello, parte da situação se explica pela ação de uma nova variante do novo coronavírus. “Estamos observando que é uma cepa diferente. Mandamos todo o material coletado para a Inglaterra, para que seja estudado em Oxford, para termos uma posição exata sobre o grau de contaminação e de agressividade desta nova cepa”, destacou o ministro.

    Imagem: saude eduardo pazuello hospital nilton lins 2601214114 Ministério estima remoção de cerca de 1,5 mil pacientes de Manaus
    O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, e o governador do Amazonas, Wilson Lima – Foto: Divulgação/Ministério da Saúde