08 de maio de 2021
Mais
    Capa Destaques Viatura da Politec é vista em frente ao prédio onde Terezinha Silva...
    MORTA A TIROS

    Viatura da Politec é vista em frente ao prédio onde Terezinha Silva morava

    O caso segue sendo investigado pela Polícia Civil, mas até o momento os executores do crime ainda não foram presos

    Imagem: Politec realizando pericia no apartamento Viatura da Politec é vista em frente ao prédio onde Terezinha Silva morava
    Informação não confirmada dá conta de que uma perícia teria sido feita no apartamento de Terezinha Silva – Foto Varlei Cordova / AGORAMT

    Uma viatura da Perícia Técnica foi vista no final da manhã estacionada em frente ao prédio onde morava Terezinha Silva, presidente do Sanear brutalmente assassinada a tiros no último dia 15. Segundo apurado, o apartamento onde a finada presidente da autarquia morava foi periciado e foram coletados documentos e outros materiais, que devem auxiliar nas investigações para desvendar e apontar a autoria e possível mandância do crime. a informação, no entanto, não é confirmada pela Polícia Judiciária Civil (PJC).

    Terezinha Silva tinha 53 anos e foi morta a tiros nas primeiras horas da manhã do dia 15, no momento em que ia para o trabalho. Dois motociclistas pararam ao lado da caminhonete em que ela estava e o passageiro da moto disparou várias vezes contra Terezinha, que foi atingida por sete disparos na região da cabeça, pescoço e ombros, morrendo no local.

    Imagem: Terezinha Souza presidente do sanear Viatura da Politec é vista em frente ao prédio onde Terezinha Silva morava
    Terezinha silva foi brutalmente morta a tiros no último dia 15, no momento em que ia para o trabalho – Foto Varlei Cordova / AGORAMT

    Um homem chegou a ser detido pela Polícia Militar como possivelmente sendo um dos criminosos, mas sua participação no crime foi descartada pela PJC, já que tem características físicas diferentes das do suspeito.

    Desde então, as investigações continuam, mas a PJC ainda não conseguiu apurar as circunstâncias envolvendo o crime e nem identificar os seus autores.

    Agora, com a perícia no apartamento onde Terezinha Silva morava, a expectativa geral é que os peritos tenham conseguido coletar dados e documentos que levem à identificação dos criminosos e dos seus possíveis mandantes.

    Questionada sobre a situação, a assessoria de comunicação da Polícia Civil informou que as investigações continuam e que nenhuma informação pode ser tornada pública ainda para não prejudicar as investigações.