18 de abril de 2021
Mais
    Capa Destaques Presidente da Câmara lamenta situação e defende Barga Rosa
    GUIRATINGA

    Presidente da Câmara lamenta situação e defende Barga Rosa

    O parlamentar elogiou os primeiros dias da gestão de Barga Rosa e lamentou a cassação do prefeito em primeira instância

    Imagem: vereador guiratinga luiz mário
    “Ele tinha começado muito bem”, afirmou o vereador Luiz Mário, se referindo ao prefeito Barga Rosa – Foto Arquivo/AgoraMT

    O vereador Luiz Mário Pires de Araújo (PSDB), presidente da Câmara de Guiratinga, lamentou a situação envolvendo a cassação em primeira instância do prefeito recém-empossado da cidade, Waldeci Barga Rosa (DEM) e de sua vice, Leonor de Fatima Bassi Martini, que é do mesmo partido do prefeito. O entendimento do presidente do Legislativo, que evitou falar nos motivos que levaram a Justiça a cassar o mandato do prefeito, é que o prefeito tenha iniciado bem o seu mandato e agora terá que reverter sua cassação para continuar seu trabalho com tranquilidade.

    Para o parlamentar, a situação traz insegurança para a cidade e também abala o gestor, que fica inseguro para tomar decisões que impactem no médio e longo prazo. “É claro que o prefeito sentiu um baque violento. Ele tinha começado muito bem, não fui da mesma coligação dele, mas assim que se tornou prefeito chamou todos os vereadores para conversar. Eu acho que ele tinha começado muito bem (o mandato)”, externou Luiz Mário.

    Ele ainda afirmou que não vê maiores prejuízos para a população, pois apesar da instabilidade política instalada na cidade, os serviços públicos continuam funcionando normalmente. “Eu lamento muito, com certeza, tudo o que está acontecendo, mas a administração pública te que continuar funcionando normalmente mesmo assim”, pontuou.

    Questionado sobre a possibilidade de ter que assumir a prefeitura, o que aconteceria caso a cassação de Barga Rosa e sua vice em instâncias superiores, quando ficaria à frente do Executivo até que sejam realizadas novas eleições, o presidente da Câmara desconversa, mas deixa antever em sua fala que já pensa na possibilidade. “Fomos eleitos para sermos vereador, depois presidente da Câmara, aí vem essa situação de cassação. Ainda estamos absorvendo isso e ainda não sabemos até onde isso vai prejudicar a cidade. Mas nós estamos aqui e vamos seguir o que a Justiça determinar”, concluiu.