17 de fevereiro de 2021
Mais
    Capa Destaques Confira a programação das missas na Quarta-feira de Cinzas
    RONDONÓPOLIS

    Confira a programação das missas na Quarta-feira de Cinzas

    Os católicos celebram a Quarta-feira (17) de Cinzas com celebrações que marcam o início da Quaresma, período de 40 dias em que os cristãos se preparam para a Páscoa.

    As paróquias de Rondonópolis divulgaram os horários das missas.

    PARÓQUIAS HORÁRIOS

    Catedral Santa Cruz 19h

    Paróquias São José Operário 19h30

    Paróquia Bom Pastor 19h

    Paróquia Nossa Senhora de Aparecida 06h e 19h

    Paróquia Sagrado Coração de Jesus 07h e 19h

    Paróquia São José Esposo 06h e 19h30

    Paróquia Santa Terezinha do Menino Jesus 19h

    Paróquia São Domingo Sávio 19h

    Paróquia São João Batista 19h30

    Paróquia São João Bosco 19h

    Imagem: DOM JUVENTINO Confira a programação das missas na Quarta-feira de Cinzas
    Dom Juventino Kestering, bispo da Diocese de Rondonópolis/Guiratinga – Foto: Vandréia de Paula/Agora MT

    QUARESMA – CONVERSÃO

    Quaresma é o período de quarenta dias que antecedem a Páscoa, a ressurreição de Jesus Cristo. Durante esse tempo os cristãos dedicam-se à reflexão da Palavra de Deus, ao jejum, a oração, a esmola, a partilha do pão, a conversão de vida para lembrar os 40 dias passados por Jesus no deserto e os sofrimentos que ele suportou na cruz.

    Quaresma é tempo de Campanha da Fraternidade que ilumina de modo particular os gestos fundamentais desse tempo litúrgico: a oração, o jejum e a esmola. Neste ano de maneira ecumênica, a 57ª Campanha da Fraternidade tem como tema: “Fraternidade e Diálogo: compromisso de amor” e o lema “Cristo é a nossa paz: do que era dividido, fez uma unidade” (Ef 2.14). “Representa uma das experiências mais valiosas de missão evangelizadora em nosso país. Sua realização é um sinal de esperança num mundo marcado por conflitos, intolerância e até ódio. Apesar da pandemia, nada impede que se crie o espirito fraterno, o cuidado pelo planeta e pelas pessoas, a cultura do diálogo que supere a intolerância, a exclusão, o racismo e a busca pela paz, pois “Cristo é a nossa Paz”. Contemplar o rosto sofrido de Jesus, mas também o rosto machucado dos irmãos nas “periferias existenciais e sociais”.

    Dom Juventino Kestering

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS