19 de fevereiro de 2021
Mais
    Capa Destaques Dom Juventino diz que período da Quaresma é tempo de “viver a...
    FÉ CRISTÃ

    Dom Juventino diz que período da Quaresma é tempo de “viver a fraternidade”

    Mesmo com as restrições impostas pela pandemia do coronavírus, a Diocese não deixará de lembrar o período da Quaresma e seus ensinamentos

    Imagem: Denilson entrevista o bispo Dom Juventino Dom Juventino diz que período da Quaresma é tempo de “viver a fraternidade”
    O líder religioso conta que o período rememora a trajetória e ressurreição de Jesus Cristo – Varlei Cordova / AGORA MT

    A Quaresma, período importante no calendário cristão, teve origem há muitos séculos, mas foi instituída de forma oficial no calendário cristão já no século IV. Inspirada no período de tentação de Jesus Cristo no deserto, bem como os exemplos de Noé, em 40 dias na Arca, e Moisés, vagando por 40 anos no deserto do Sinai, esse período é tido como um tempo de penitência, mas também de reflexão sobre a fé cristã e sobre como o cristão deve viver essa fé no seu cotidiano.

    É durante a Quaresma que os cristãos realizam rituais como a Via Sacra, que rememora os últimos passos de Cristo antes da sua crucificação e morte, das caminhadas de penitência, que desembocam na Páscoa, que celebra a ressurreição do filho de Deus.

    De acordo com o bispo diocesano Dom Juventino Kestering, desde a época em que o povo Judeu vivia no cativeiro no Egito já celebravam uma data conhecida como Páscoa, que já tinha um período de preparação características idênticas à do período da Quaresma nos nossos dias, com penitências e jejuns, mas só com a adoção do Cristianismo como religião oficial pelos romanos, por volta do século IV, é que foi instituída de forma também oficial e passou a fazer parte do calendário cristão pelo mundo afora.

    O líder religioso conta que o período rememora a trajetória e ressurreição de Jesus Cristo, se caracterizando como um dos mais importantes para o cristianismo. “A Quaresma começa com aquele evento de Jesus no deserto, que foi tentado pelo demônio. A Bíblia relata que foram 40 dias. Então, a Igreja tomou esse dia como ponto de partida, que chamamos Quarta-feira de Cinzas, e a partir dali se estabelecem 40 dias que vai até a Quinta-feira Santa. Esse é o período que a Igreja chama de Quaresma, tempo de penitência, tempo de jejum, tempo de olhar o rosto de Cristo, mas o tempo de olhar também o rosto dos irmãos”, contou Dom Juventino.

    Os cristãos, não necessariamente católicos, além de se penitenciarem, realizam diversas atividades, mas ele cita que o mais importante é o simbolismo da data e a reflexão a respeito da necessidade de fraternidade entre os cristãos e destes para com as demais pessoas. “Todos se unem num preceito básico: Jesus viveu, Jesus sofreu, Jesus morreu e Jesus ressuscitou. Para a Igreja Católica, a Quaresma começa com a Quarta-feira de cinzas, que tem dois momentos importantes: a imposição das cinzas, como um sinal de penitência, e o início da Campanha da Fraternidade, para lembrar e recordar que a Quaresma é um tempo de olhar para o rosto de Jesus, mas para viver a fraternidade entre os irmãos”, explicou.

    O bispo concedeu uma entrevista exclusiva ao Portal AGORA MT, na qual ele fala também das restrições impostas pela pandemia do novo coronavírus, da Campanha da Fraternidade e de outros assuntos igualmente importantes para os cristãos.

    Assista abaixo a integra da fala do líder religioso.

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS