19 de abril de 2021
Mais
    Capa Destaques Sindicato patronal orienta comerciantes que queiram abrir as portas no 15
    DIA DO COMERCIÁRIO

    Sindicato patronal orienta comerciantes que queiram abrir as portas no 15

    A recomendação é que negociação seja feita diretamente com o sindicato do trabalhadores

    Imagem: Pessoas trabalhadores centro comercio
    O comércio de Rondonópolis não abre no dia, quando é comemorado o Dia do Comerciário – Foto Arquivo AgoraMT

    O Sindicato do Comércio Varejista de Rondonópolis (Sincomroo) esclarece a sociedade sobre o impasse a respeito da abertura do comércio no dia 15 de fevereiro, data que se comemora o Dia do Comerciário. Desta forma, segue o entendimento em caráter excepcional de que cada empresário busque negociar com o Sindicato dos Empregados no Comércio (Secro) o funcionamento.

    O presidente do Sincomroo, Geovane Sales, deixa claro que a orientação para os associados é para a não abertura na data, mas devido ao bom relacionamento com o Sindicato dos Empregados, ele destaca que aquele empresário que opte em abrir, faça a negociação diretamente com os dirigentes laborais. “Não existe nenhum impedimento por nossa parte que o empresário que queira abrir vá até o sindicato dos empregados, e faça uma proposta para o funcionamento e se eles autorizarem, está tudo ok. Neste caso em especial não há a necessidade de passar pelo crivo do sindicato patronal, e destacamos a forma democrática que este processo está sendo conduzido por todos os envolvidos, e o que queremos é um comércio forte para que possamos sair desta crise da melhor forma possível”, disse.

    O impasse se deu na questão do período de funcionamento do setor, o sindicato laboral sustenta a proposta de abertura facultativa das 08h às 13h, mediante pagamento dos adicionais legais e folga compensatória até o final deste mês.

    Em resposta, o sindicato patronal (Sincomroo) apresentou o não aceite de horário limitado de funcionamento, o qual deveria ser de acordo com o alvará de funcionamento de cada empresa e a data tratada como dia útil normal para todos os efeitos, ressalvados os direitos dos funcionários aos adicionais legais e a folga compensatória negociada.

    “Por fim, frisamos novamente que abertura de cada empresa ficará condicionada ao aceite do Sindicato Laboral, por meio de acordo coletivo. Os mercados, supermercados e açougues irão funcionar normalmente, conforme o alvará de cada estabelecimento, haja vista se tratarem de atividades consideradas essenciais”, finalizou Sales.