20 de abril de 2021
Mais
    Capa Destaques UFR já realizou cerca de 6,8 mil testes para identificar infectados pela...
    FUNÇÃO SOCIAL

    UFR já realizou cerca de 6,8 mil testes para identificar infectados pela Covid-19

    Ao todo, a UFR já fez cerca de 6.800 testes para detecção viral do SARS-CoV-2, o vírus da Covid-19

    Imagem: Entrada da UFR Rodnonopolis UFR já realizou cerca de 6,8 mil testes para identificar infectados pela Covid-19
    A UFR tem tido um papel de destaque na produção de insumos para o combate à Covid-19 – Foto Juares Soares/TV Cidade Record

    A Universidade Federal de Rondonópolis (UFR) já fez cerca de 6.800 testes para detecção viral do SARS-CoV-2, o vírus da Covid-19 para os 19 municípios da região. Os testes são resultados de uma parceira estabelecida em abril do ano passado entre a UFR e o Laboratório Central (LACEN) e os exames são feitos no Laboratório de Citogenética do Núcleo de Pesquisas do Cerrado (NUPEC) da instituição de ensino superior.

    Os professores Bruno Moreira Carneiro e Juliana Helena Chavez Pavoni, ambos vinculados ao curso de Medicina da UFR, lideraram o processo de testes juntamente com a colaboração de outros docentes e técnicos que auxiliaram com a cessão de equipamentos de trabalho e mesmo espaço físico para atender a demanda.

    De acordo com o professor Bruno Carneiro, apesar das dificuldades, o trabalho tem sido gratificante. “Tem sido um trabalho bastante árduo, porém ficamos felizes em permitir que a UFR possa fazer o seu papel de servir ao público e contribuir neste período tão difícil para a saúde mundial”, declarou.

    OUTRAS ATIVIDADES

    Outro motivo de orgulho para o pessoal da UFR é a produção de 10 mil litros de álcool 70% em gel para distribuição na rede de atenção à saúde e para as forças de segurança pública, que também atendem toda a região. “Fizemos uma parceria e compramos insumos possibilitando a produção de 10 mil litros de álcool gel, assim conseguimos distribuir 6 mil litros para os 19 municípios da região, além de entidades filantrópicas e serviços públicos de Rondonópolis, como o Lar dos Idosos, Lar Cristão, Hospital Paulo de Tarso, Policia Militar, Polícia Ambiental e INDEA. Os demais 4 mil litros foram destinados ao consumo interno apoiando as ações de prevenção ao contágio da doença no âmbito da UFR”, declarou o professor Aristides José da Silva Júnior, que também esclareceu que a UFR desenvolveu um projeto para produção deste produto e montou uma estrutura sofisticada para produção em larga escala.

    Imagem: alcool gel UFR 1 UFR já realizou cerca de 6,8 mil testes para identificar infectados pela Covid-19
    A UFR produziu e doou milhares de litros de álcool em gel para os municípios da região – Foto Divulgação

    Já o curso de Engenharia Mecânica confeccionou 388 protetores faciais, que foram distribuídos à rede de saúde para serem utilizados por agentes que estão na linha de frente do enfrentamento à pandemia, oferecendo melhores condições de trabalho/proteção a estes profissionais, enquanto professores e alunos do curso de Engenharia Mecânica projetaram e construíram ventiladores pulmonares durante a pandemia.

    Os aparelhos foram doados à Santa Casa de Misericórdia e utilizados nas Unidades de Tratamento Intensivo do município para tratamento da Covid-19 e isso foi possível graças ao apoio e investimento realizado pelo Ministério Público.

    O diretor do Instituto de Ciência Agrárias e Tecnológicas (ICAT), professor Heinstein Frederich Leal dos Santos, explicou que todo o processo de fabricação dos ventiladores ocorreu dentro das oficinas da UFR com o acompanhamento dos professores e técnicos do curso. “Os alunos passaram por todas as etapas de desenvolvimento de um projeto, desde o seu desenho, elaboração, construção e, agora, a entrega desses ventiladores”, informou o professor.

    De sua parte, o curso de Psicologia realizou o projeto “Palavras na Rede”, oferecendo grupos terapêuticos online aos moradores de Rondonópolis e região, mediados por psicanalistas, visando amenizar os efeitos provocados pelo isolamento devido à epidemia do Coronavírus. Os grupos terapêuticos se destinaram a quem necessitava se expressar e ser ouvido durante o momento de reclusão devido à epidemia do Coronavírus.

    Acadêmicos dos cursos de Medicina e Enfermagem colaboraram no combate à transmissão do novo Coronavírus usando seus conhecimentos aprendidos na universidade pública e ferramentas gratuitas de informação para fornecer esclarecimentos e passar orientações à população a respeito da doença. O grupo de alunos fez parte do serviço público ofertado pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) do município de Rondonópolis. Por meio de telefone, pessoas capacitadas para lidar com condições epidemiológicas tiravam dúvidas e recebiam denúncias sobre situações de risco.