08 de maio de 2021
Mais
    Capa Destaques 45 pessoas aguardam por leitos de UTI em Rondonópolis
    COLAPSO NA SAÚDE

    45 pessoas aguardam por leitos de UTI em Rondonópolis

    Maioria dos pacientes em estado grave veio de municípios vizinhos; cidade registra também aumento de internações em enfermarias e o prefeito não descarta a adoção de medidas mais duras.

    Imagem: uti lotada 45 pessoas aguardam por leitos de UTI em Rondonópolis
    Dados sobre espera por leitos de UTI são reunidos pela central de regulação. Foto: Divulgação

    Aumentou a fila de pacientes em estado grave que aguardam internação em leitos de UTI para tratamento da Covid em Rondonópolis. Dados obtidos pela reportagem do site AgoraMT mostram que 45 pessoas estão nesta situação hoje (23). A maioria foi encaminhada pelas secretarias de Saúde dos municípios vizinhos.

    As cidades de Campo Verde e Primavera do Leste são as que mais tem pacientes na fila de espera, sete cada uma. Na sequência aparecem Poxoréu (03) , Jaciara (03) e Alto Araguaia (03). Na UPA de Rondonópolis 20 pacientes esperam por uma vaga, enquanto a Santa Casa e o Hospital Regional Irmã Elza Geovanella confirmam que esperam a abertura de leitos de UTI para quatro pacientes em estado grave.

    Os dados desta fila de espera não são incluídos nos boletins oficiais emitidos pela Prefeitura e pelo Governo do Estado. Mas as informações são reunidas diariamente pela Central de Regulação junto aos hospitais públicos e privados e confirmam o colapso na Saúde.

    Conforme o boletim divulgado ontem todos os leitos de UTI do município estão ocupados. 36 pessoas estão internadas nas UTIs  Públicas e outras 10 em hospitais particulares.

    A rede privada também está com superlotação nas enfermarias. São 51 pessoas internados, o que equivale a 154,5% da capacidade normal destes hospitais. Outras 54 pessoas recebem tratamento em enfermarias públicas, que ontem atingiram 71,1% da capacidade total de atendimento.

    COLAPSO
    O prefeito de Rondonópolis, José Carlos do Pátio, tem afirmado que a situação é crítica e reclama da falta de apoio do governo federal no que diz respeito ao envio de vacinas. Ele convocou uma entrevista coletiva na manhã de hoje para apresentar um balanço geral da situação no município.

    Ontem o prefeito divulgou um vídeo admitindo o colapso nas redes de saúde pública e privada e afirmou que pode adotar medidas mais duras caso a cidade continue registrando aumento no número de contaminações e óbitos.

    “Por enquanto eu estou segurando para não ter o lockdown e vou segurar até onde der. Mas se eu sentir que está incontrolável vou tomar uma atitude”, alertou.

    Rondonópolis registrou até o momento 22.327 casos confirmados e 542 mortes por Covid-19. Conforme a Secretaria Municipal de Saúde a cidade tem hoje 1,251 casos ativos da doença.