08 de maio de 2021
Mais
    Capa Destaques Vereadores avaliam investimentos para conter Covid-19 em Rondonópolis
    REFORÇO NECESSÁRIO

    Vereadores avaliam investimentos para conter Covid-19 em Rondonópolis

    Os novos leitos de UTI e reforço da estrutura da UPA fazem parte de pacote de ações executado pela Prefeitura com recursos aprovados na semana passada pelo Legislativo Municipal.

    Imagem: Mesa diretora da Camara Municipal Vereadores avaliam investimentos para conter Covid-19 em Rondonópolis
    Recursos para investimentos no enfrentamento à Covid foram aprovados em sessão extraordinária – Foto: Varlei Cordova / AGORAMT

    “A implantação dos 10 novos leitos de UTI no Hospital Municipal Dr. Antonio Muniz é uma vitória do município na luta contra a Covid-19”. Assim o presidente da Câmara de Vereadores de Rondonópolis, Roni Magnani (Solidariedade), definiu a importância da medida anunciada ontem (28) pelo prefeito José Carlos do Pátio.

    Os novos leitos são parte de um pacote de ações executado pela Prefeitura com recursos aprovados na semana passada pelo Legislativo Municipal.

    Ao todo a Câmara aprovou a abertura de créditos e remanejamentos orçamentários que totalizam mais de R$ 25 milhões. Além dos leitos de UTI no hospital de retaguarda, os recursos serão utilizados para as unidades de saúde nos bairros, a estrutura da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e a contratação de mais profissionais.

    “Demos o suporte legal e também estamos acompanhando de perto todas as ações”, afirmou Roni Magnani, que ontem acompanhou a coletiva para informar a abertura dos novos leitos de UTI juntamente com outros vereadores.

    A reportagem apurou que os equipamentos para a implantação dos novos leitos de UTI foram locados. O mesmo deve ocorrer com parte dos equipamentos destinados a ampliação de leitos semi-intensivos na UPA. Serão 16, sendo seis do próprio município e o restante adquirido via locação.

    REFORÇO E VACINAÇÃO
    A vereadora Marildes Ferreira (PSB), presidente da Comissão de Saúde da Câmara, e o vereador Reginaldo Santos (Solidariedade), líder do prefeito na Casa, também destacaram a importância dos investimentos para conter o avanço da Covid-19 no município.

    Marildes lembrou que além de fortalecer a Rede Pública de Saúde, os novos leitos de UTI também vão permitir um atendimento mais ágil aos rondonopolitanos. “Como o município não habilitará esses leitos no SUS, poderemos garantir que eles sirvam exclusivamente aos moradores de Rondonópolis”, destacou.

    Imagem: UTI EQUIPAMENTOS Vereadores avaliam investimentos para conter Covid-19 em Rondonópolis
    Leitos semi-intensivos da UPA têm equipamentos semelhantes aos das UTIS da rede privada – Foto:Divulgação

    A vereadora, que há anos trabalha no setor e já foi secretária municipal de Saúde, também ressaltou a importância dos investimentos na UPA. “Apesar de não podermos defini-los tecnicamente como UTI, esses leitos dispõe de quase todos os equipamentos necessários para o tratamento intensivo. É um reforço importante e que vai salvar muitas vidas”, afirma.

    O vereador Reginaldo Santos elogiou a agilidade do Executivo na adoção de novas medidas, mas pondera que é fundamental acelerar o programa de imunização contra a Covid-19. Ele explica que as vacinas encaminhadas pelo Ministério da Saúde tem chegado numa proporção insuficiente e pede o empenho das autoridades estaduais e federais.

    “Mato Grosso está sendo prejudicado e precisamos que o Governador, os deputados estaduais e também nossa bancada federal juntem forças para mudar isso. Uma prova de que algo está errado é que nosso vizinho Mato Grosso do Sul, que tem uma população menor, está recebendo mais vacinas e já imunizou quase o dobro de pessoas que Mato Grosso”, exemplifica.

    Conforme a Secretaria Municipal de Saúde, até o momento Rondonópolis imunizou 10.722 pessoas com a primeira dose e 4.053 já receberam também a segunda dose da vacina.

    No fim de semana o município abriu a vacinação para idosos com mais de 75 e 74 anos. Nesta semana devem ser imunizadas também as faixas etárias acima de 72 anos.