31 de julho de 2021
Mais
    Capa Notícias Brasil Governo adia posse de Queiroga na Saúde
    TRANSMISSÃO

    Governo adia posse de Queiroga na Saúde

    Nome do novo ministro, que passa por espécie de treinamento com Pazuello, surgiu na segunda-feira passada

    Imagem: QUEIROGA Governo adia posse de Queiroga na Saúde
    Marcelo Queiroga – Foto: Reprodução

    O novo ministro da Saúde, o cardiologista Marcelo Queiroga, deverá tomar posse no cargo na tarde da próxima quarta-feira (24) ou, no máximo, quinta-feira (25). A expectativa era de que o presidente Jair Bolsonaro comandasse a cerimônia de transmissão de cargo de Eduardo Pazuello, atual ministro, para Queiroga no começo dessa semana – plano que foi adiado.

    A principal justificativa é a possível nomeação de Pazuello para outro ministério, o que ainda é guardado em segredo tanto pelo atual chefe da Saúde — nem mesmo os assessores de sua estrita confiança sabem qual o posto em que seria alocado.
    A Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) aprovou, na manhã desta segunda-feira (22.03), os projetos de lei de autoria do Governo do Estado que definem o pagamento de auxílio financeiro a famílias de baixa renda e a liberação de crédito emergencial para atender a micro e pequenas empresas.

    O Ser Família Emergencial, programa idealizado pela primeira-dama Virginia Mendes, vai atender cerca de 100 mil famílias de baixa renda com a transferência do auxílio de R$ 150, durante três meses.

    O benefício financeiro será concedido por meio de parceria com a Assembleia Legislativa. Ao todo, serão aportados investimentos na ordem de R$ 45 milhões neste programa, sendo R$ 35 milhões dos cofres do Estado e R$ 10 milhões, disponibilizados pelo Legislativo, relativos ao duodécimo.

    O auxílio emergencial será fornecido por meio de cartões, que serão distribuídos e coordenados pela Secretaria de Assistência Social e Cidadania (Setasc).

    Presidente da Assembleia Legislativa e um dos principais articuladores deste projeto, o deputado Max Russi destacou que a criação do Ser Família Emergencial ocorre em paralelo às ações do Ser Família, que vai atender famílias em situação de vulnerabilidade, a mulher vítima de violência doméstica, a criança, o idoso e a pessoa com deficiência.

    “Isso gerou algumas dúvidas nesta semana. Existe o Ser Família, que tem alguns municípios contemplados, e o Ser Família Emergencial que vai atender os 141 municípios de Mato Grosso. Serão 100 mil famílias atendidas com um cartão alimentação para compras em mercados de até R$ 150”, frisou.

    Já o Desenvolve Emergencial, incluso no pacote de socorro aos bares, restaurantes e setor de eventos em Mato Grosso, irá garantir linhas de crédito no valor total de R$ 55 milhões junto à Agência de Fomento de Mato Grosso (Desenvolve MT).

    As linhas de crédito do Desenvolve Emergencial poderão ser solicitadas junto à Desenvolve MT, de forma a colaborar para que os empresários destas áreas possam equilibrar o fluxo de caixa, repor estoques, pagar salários, fornecedores, fazer investimentos, entre outros.

    “Esse dinheiro não pode ficar parado nas contas da Desenvolve MT. A Assembleia Legislativa vai acompanhar mensalmente quanto desse recurso está sendo emprestado. Nosso louvor a Desenvolve MT, que tem condição, tem capacidade de fazer chegar esse dinheiro aos pequenos empreendedores”, defendeu Max Russi.

    O deputado Xuxu Dal’Molin lembrou que os recursos irão atender a todos os micro e pequenos empresários do segmento. Do valor total de R$ 55 milhões, R$ 45 milhões são aportes do Governo e R$ 10 milhões são da Assembleia Legislativa.

    “Devemos nos preparar para aportar, inclusive, mais dinheiro se for necessário. Não é só bares e restaurantes, são todas as atividades econômicas relacionadas que estão sendo afetadas pelas medidas sanitárias”, reforçou o deputado.