20 de abril de 2021
Mais
    Capa Destaques Mendes cita “caos iminente” e diz que postura de Emanuel causa estranheza
    “MINI LOCKDOWN”

    Mendes cita “caos iminente” e diz que postura de Emanuel causa estranheza

    Medidas anunciadas pelo Governo nesta manhã são impositivas e devem ser seguidas por todos os prefeitos

    Imagem: Mauro Mendes e Emanuel Pinheiro Mendes cita “caos iminente” e diz que postura de Emanuel causa estranheza
    O governador Mauro Mendes, que disse estranhar postura do prefeito da Capital

    O governador Mauro Mendes (DEM) disse que Mato Grosso vive um “caos iminente” na saúde pública, em decorrência do aumento de casos e mortes pela Covid-19, nos últimos dias.

    A declaração foi dada na manhã desta segunda-feira (1º), quando ele anunciou novas medidas como forma de tentar frear o avanço da doença, o que têm elevado, inclusive, a taxa de ocupação em UTIs adulto no Estado.

    O governador disse ainda estranhar a postura do prefeito da Capital, Emanuel Pinheiro (MDB), que neste momento se opõe a um eventual lockdown.

    “Lá atrás, ele decretou lockdown e eu fui totalmente contra. Neste momento, estamos em um caos iminente. Naquele momento não tínhamos ninguém nas UTIs ainda. As UTIs estavam todas vazias e ele tomou essa medida. Então, é estranha essa fala prefeito”, disse Mendes, ao ser questionado por jornalistas sobre o assunto.

    O governador afirmou também que as novas medidas anunciadas por ele nesta manhã são impositivas e devem ser seguidas por todos os prefeitos dos 141 municípios de Mato Grosso.

    Entre as imposições, o fechamento de todas as atividades econômicas a partir das 19 horas – a exceção de farmácias, serviços de saúde, funerárias, postos de gasolina (exceto conveniências) e indústrias – e o “toque de recolher” a partir das 21 horas.

    “Estamos adotando algumas medidas e os municípios serão obrigados a cumpri-las. Podendo, inclusive, aplicar medidas mais severas. Agora, se algum dos prefeitos não cumprir, caberá ao MPE e demais órgãos de controle fazer a interação com essas prefeituras”, afirmou Mendes.

    Ainda segundo ele, a princípio, tais medidas vigoram por 15 dias, a contar desta terça-feira (2).

    “Nada nos impede de já na próxima semana fazermos uma reavaliação parcial. Se as coisas estiverem indo bem, podemos flexibilizar. Caso contrário, poderemos até endurecer”, concluiu.

    Veja todas as medidas:

    – De segunda à sexta, proibição de todas as atividades econômicas das 19h às 5h. Aos sábados, a proibição será após o meio-dia. Nos domingos, nenhuma atividade será permitida. A exceção fica por conta das farmácias, serviços de saúde, funerárias, postos de gasolina (exceto conveniências) e indústrias.

    – Nos horários permitidos, as atividades econômicas deverão respeitar as medidas de segurança, como o uso de máscara, distanciamento e limitação de 50% da capacidade máxima do local.

    – Os serviços de entrega por delivery seguem autorizados até às 22h.

    – O transporte coletivo e congêneres (Uber, 99, etc) podem funcionar normalmente.

    – Toque de recolher a partir das 21h até às 5h, com proibição de circulação.

    – Projeto de lei que prevê multa a pessoas físicas e às empresas que descumprirem as normas, bem como notificação à Polícia Civil e Ministério Público.

    – Nos órgãos públicos estaduais, fica suspenso o atendimento presencial em todas as secretarias e órgãos do governo, com exceção das unidades finalísticas. Quanto a jornada de trabalho, cada secretaria/autarquia vai disciplinar medidas para redução do fluxo de pessoas.