11 de maio de 2021
Mais
    Capa Destaques Representantes do comércio criticam proposta de 'feriadão'
    REAÇÃO NEGATIVA

    Representantes do comércio criticam proposta de ‘feriadão’

    Presidentes da ACIR de Rondonópolis e da CDL de Primavera do Leste afirmam que feriado prolongado vai prejudicar comerciantes e pode favorecer aglomerações.

    Imagem: renato rohr Representantes do comércio criticam proposta de 'feriadão'Renato Del Cistia, de Rondonópolis, e Naudi Rohr, de Primavera do Leste, temem ‘efeito reverso’ (Foto – AgoraMT)

    Os presidentes de duas entidades empresariais das principais cidades da região Sudeste são contra a proposta de feriado prolongado apresentada pelo governador Mauro Mendes. Em entrevistas ao site AgoraMT, Renato Del Cistia, da ACIR-Associação Comercial e Industrial de Rondonópolis, e Naudi Rohr, da CDL-Câmara de Dirigentes Lojistas de Primavera do Leste, disseram que a medida vai penalizar os comerciantes e não surtirá o efeito de conter o avanço da pandemia de Covid-19.

    “Não concordo. Infelizmente nós brasileiros não temos maturidade para realizar um ‘trancamento’, ou um ficar em casa, conforme sugere o objetivo dessa antecipação de feriado”, disse Renato Del Cistia.

    Naudir Rohr avalia que ao invés de parar as atividades econômicas, o Governo do Estado deveria tomar providências para melhorar o transporte coletivo e a segurança nos espaços públicos, que são na sua opinião os principais responsáveis pela disseminação do vírus.

    “Não é o comércio o culpado por essa situação. O comércio segue todos os protocolos, mas o Estado não consegue dar segurança ao transporte e locais públicos, onde está o grande problema. Pensam que fechando vai resolver, mas isso prejudicar o comércio que já está pagando esta conta caríssima”, afirma Rohr.

    EFEITO REVERSO
    Os dois dirigentes também chamam atenção para o risco de que o feriado prolongado resulte em mais aglomerações e numa aceleração do ritmo de novas contaminações no Estado.

    “Além das perdas financeiras, que serão inevitáveis, o risco do efeito ser reverso é muito grande”, alertou Renato Del Cistia.

    “O Estado quer achar uma saída para se safar de um problema que ele mesmo criou. Isso acabará causando mais aglomeração. Quanto mais tempo fechado e menor o período de funcionamento, maior será a procura das pessoas principalmente nos supermercados”, destaca Naudi Rohr.

    PROPOSTA
     A proposta apresentada ontem (19) em videoconferência pelo governado Mauro Mendes prevê a decretação de feriados dos dia 24 ao dia 26 de março (quarta a sexta da próxima semana), e também nos dias 1º e 2 de abril (quinta e sexta) da semana posterior.

    Mauro Mendes anunciou que pretende discutir o assunto com os outros poderes e também com representantes do setor produtivo. O presidente da Fecomércio, Venceslau Júnior, participou da videoconferência e agradeceu ao governador por ouvir a categoria.