11 de maio de 2021
Mais
    Capa Destaques Após medicamentos vencidos, Controladoria de Cuiabá faz auditoria
    FLAGRA DA OPOSIÇÃO

    Após medicamentos vencidos, Controladoria de Cuiabá faz auditoria

    Segundo Município, os trabalhos devem ser concluídos em 1 mês e meio

    Imagem: medicamentos vencidos Após medicamentos vencidos, Controladoria de Cuiabá faz auditoria
    Controladoria faz auditoria para apurar remédios vencidos – Foto: Assessoria

    A controladoria-geral de Cuiabá abriu uma auditoria para apurar o episódio envolvendo os medicamentos vencidos e que estão armazenados no Centro de Distribuição de Medicamentos e Insumos da Capital.

    O episódio veio à tona na última semana, após uma fiscalização realizada por vereadores de oposição ao prefeito Emanuel Pinheiro (MDB).

    De acordo com a controladora Mariana Cristina Ribeiro dos Santos, a auditoria irá apurar os responsáveis pelo ocorrido, além de desenvolver um plano de ação para corrigir os processos de logística dos medicamentos.

    Os trabalhos já iniciaram no último dia 27, com prazo estimado de 1 mês e meio para término.

    “A investigação é de fundamental importância, devido a medida e à proporção que isso tomou. Nós [Secretaria de Saúde] fizemos os nossos levantamentos, mas ainda estávamos em fase de terminar. Com tudo isso que aconteceu, os trabalhos podem ser prejudicados, então ter a Controladoria através das inspeções deles, nos dará uma segurança muito maior de esclarecimento”, afirmou a secretária de Saúde, Ozenira Félix.

    Entre os medicamentos fora do prazo de validade estão: amoxicilina, Ibuprofeno ritalina, anestésicos, dipirona, paracetamol e dezenas de caixas de leite em pó.

    CPI

    O episódio envolvendo a descoberta dos medicamentos vencidos já resultou em uma investigação pela Delegacia de Combate à Corrupção (Deccor), que faz um inventário para apurar o montante do dano aos cofres públicos.

    O vereador por Cuiabá Lilo Pinheiro (PDT) apresentou requerimento para criação de uma CPI na Câmara para apurar o caso.

    O documento recebeu o aval de 13 parlamentares, o que já garante a instalação da investigação.

    A CPI deve ser oficializada nos próximos dias.