19 de abril de 2021
Mais
    Capa Bastidores Benefício para ensino à distância é ‘presente de grego’ para professores
    SINDICALISTAS DENUNCIAM

    Benefício para ensino à distância é ‘presente de grego’ para professores

    Imagem: ensino remoto Benefício para ensino à distância é ‘presente de grego’ para professores

    O que parecia ser uma solução sábia é na verdade um ‘presente de grego’ dado aos professores das escolas estaduais. Esta é a opinião de líderes do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público em Mato Grosso (Sintep/MT) sobre os R$ 6.020,00 repassados para 15 mil professores para compra de computadores portáteis e pagamento de plano de internet por três anos.

    O repasse faz parte de um programa criado no mês passado pela Lei 11.327 e os recursos já foram liberados. Com a medida o Governo fica livre dos intrincados processos de licitação e agiliza a estruturação da rede para viabilizar o ensino à distância nesses tempos de pandemia.

    O problema, alertam os sindicalistas, é que o Governo está transferindo para o CPF dos professores a responsabilidade por esses investimentos. E, pra piorar, os recursos são insuficientes para cumprir o que é determinado na lei.

    É que do valor liberado, R$ 2.520,00 devem ser destinados ao pagamento do serviço de internet banda larga por três anos (36 parcelas de R$ 70,00 ) e os outros R$ 3.500,00 devem ser usados exclusivamente para a compra do computador.

    Segundo levantamento feito pelos sindicalistas, o custo mensal de um serviço de internet eficiente gira em torno de R$ 120 e não é possível comprar um computador com a configuração especificada usando o valor repassado pelo governo.

    Além de complementar os recursos, os professores ficam ainda com a responsabilidade de devolver o computador ao final do contrato em boas condições de uso. Ou seja, terá de bancar também a manutenção e, em caso de dano ou perda, arcará sozinho com o prejuízo e pode ainda ser alvo de processo administrativo.

    Mais uma vez a conta parece estar sobrando para o lado mais fraco.