16 de maio de 2021
Mais
    Capa Notícias Manchete Chefe da Casa Civil rebate críticas de Emanuel: “pensamento medíocre”  
    CONTESTOU ISENÇÃO DE IPVA

    Chefe da Casa Civil rebate críticas de Emanuel: “pensamento medíocre”  

    Mauro Carvalho diz que prefeito se opõe a medida que beneficiará mais de 500 mil pessoas

    Imagem: Mauro carvalho casacivil Chefe da Casa Civil rebate críticas de Emanuel: “pensamento medíocre”  
    O secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho, que rebateu críticas do prefeito da Capital – Foto: Secom

    O secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho classificou como “medíocre” o comportamento do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), no que diz respeito ao embate travado com o governo do Estado nas últimas semanas.

    O último ponto de conflito entre os poderes Executivo Municipal e Estadual diz respeito ao projeto de autoria do governador Mauro Mendes (DEM), que trata da isenção de IPVA a frota de veículos de segmentos afetados pela pandemia.

    Após a aprovação da lei pela Assembleia Legislativa, o prefeito Emanuel levantou questionamento sobre a validade jurídica da medida, uma vez que, 50% do valor arrecadado com o tributo é destinado ao Estado e outros 50% aos municípios.

    “Essa postura é lamentável. É um pensamento muito pequeno, parece que tudo que o governo faz a Prefeitura de Cuiabá quer questionar, quer instigar. É um pensamento medíocre, já que esta medida vai contribuir com as pessoas que estão passando muita necessidade durante a pandemia”, disse Carvalho.

    “Estamos isentando IPVA de bares, restaurantes, dos aplicativos, Uber, 99, das motocicletas abaixo de 160 cilindradas, das vans escolares, de turismo. Estamos falando de mais de 500 mil pessoas sendo beneficiadas”, emendou o secretário.

    O chefe da Casa Civil disse que, somente neste ano, o Estado repassou R$ 150 milhões a mais de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) aos municípios.

    Este montante, conforme ele, está bem acima dos R$ 9 milhões que o prefeito disse haver de “prejuízo” à Capital com a aprovação da isenção do IPVA.

    “Ele está dizendo que vai deixar de arrecadar R$ 9 milhões. Isso é um quarto do que a Prefeitura de Cuiabá recebeu a mais de ICMS esse ano [R$ 35 milhões]”, afirmou.

    Ainda segundo Carvalho, não há que se falar em qualquer tipo de ilegalidade jurídica na propositura.

    “Quem isenta também pode dar o benefício. O prefeito está mal informado e é lamentável ele querer não ajudar mais de 500 mil mato-grossenses que serão beneficiados com essa isenção”.

    “Vamos parar com isso prefeito. A população não aguenta mais isso, não suporta mais isso. O senhor tem mais de 100 obras paradas no município como foi noticiado essa semana. Vamos cuidar dessas obras. Peço que o prefeito Emanuel pare com isso. Vamos pensar no próximo e em Cuiabá, pensar naquilo que é melhor. Concentre seus esforços na vacinação, em ampliar os locais de vacinação, concentre seus esforços na falta de medicamentos e insumos do Pronto-Socorro”, disparou.