05 de abril de 2021
Mais
    Capa Destaques Coren pede afastamento de enfermeira que não afixou agulha corretamente
    IMUNIZANTE VAZOU

    Coren pede afastamento de enfermeira que não afixou agulha corretamente

    O conselho recebeu denúncia de imperícia, imprudência e negligência na vacinação de uma idosa de 83 anos

    O Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso (Coren-MT) informa que abriu, nesta segunda-feira (05), Processo Administrativo Disciplinar (PAD) para investigar denúncia de negligência, imperícia e imprudência na vacinação de idosos contra a covid-19 em Cuiabá.

    Na última quinta-feira (01), uma profissional identificada no Registro de Imunização, da Secretaria Municipal de Saúde, como Lucinei, teria cometido erros graves durante a imunização da senhora Antonieta Teixeira Viana (83), no drive-thru montado no Centro de Vacinação, localizado no Centro de Eventos do Pantanal.

    Durante o procedimento, a aplicadora teria demonstrado imperícia ao não afixar de forma correta a agulha na seringa de vacinação provocando o vazamento do imunizante pelo braço da receptora. Depois, ao tentar retirar a agulha a mesma teria se soltado da seringa, sendo necessário o rosqueamento correto. Por fim, de forma negligente, a profissional colou um adesivo no local da falsa aplicação, limpou o braço da senhora e a liberou como se a mesma tivesse sido imunizada.

    O Coren-MT ressalta que ao verificar o próprio erro a profissional deveria ter agido com prudência se desculpando pelo erro e realizando o procedimento correto antes de liberar a idosa.

    Prova do erro

    O erro foi descoberto pela filha da idosa, Irani Viana Abdo, ao assistir a filmagem, feita por ela mesma, da suposta vacinação da mãe. Ela registrou Boletim de Ocorrência (2021.82618) no mesmo dia e encaminhou cópia do documento e da filmagem à imprensa.

    Ao tomar conhecimento do ocorrido, o presidente do Coren-MT, Antônio César Ribeiro, comunicou o caso ao Departamento de Gestão do Exercício Profissional para que tome todas as providências de acordo com as normas da profissão.

    “Fica claro neste caso, que houve imperícia, negligência e imprudência por parte da profissional que foi filmada durante a aplicação, o que é previsto no artigo 45, do Código de Ética da profissão. Determinamos fiscalização imediata no local e procedemos com pedido de afastamento da profissional até que tudo seja apurado. Aconselhamos aos familiares de dona Antonieta que entrem em contato com a Secretária Municipal de Saúde formalizando a denúncia para que a vacinação seja feita de forma correta, considerando que visivelmente o conteúdo foi derramado pelo seu braço. A vacinação é direito desta senhora e de todo cidadão”, disse Antônio César Ribeiro.