23 de julho de 2021
Mais
    Capa Destaques Mendes não vê “represália” de Bolsonaro, mas diz que recorrerá ao STF
    SPUTNIK VETADA

    Mendes não vê “represália” de Bolsonaro, mas diz que recorrerá ao STF

    O imunizante já está sendo usada em mais de 60 países

    Imagem: Sputnik Mendes não vê “represália” de Bolsonaro, mas diz que recorrerá ao STF
    Anvisa barrou uso da Sputnik no Brasil – Foto: Shutterstock

    O governador Mauro Mendes (DEM) disse não acreditar na possibilidade de que o veto da Anvisa ao uso da vacina Sputnik V no Brasil tenha sido motivado por “represália” do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) aos governadores.

    Mendes foi questionado sobre o assunto, ao participar de um evento na manhã desta quinta-feira (29).

    “Não posso acreditar [em represália]. Seria um absurdo, seria um desserviço gigante ao país se alguém – seja quem for – jogasse contra termos mais vacinas em território nacional”, disse Mendes.

    “O ritmo de vacinação do PNI está lento. Os cronogramas apresentados pelo Ministério da Saúde eles não foram cumpridos. Seria muito tranquilo ficar aqui só criticando ou reclamando. Mas, vários governadores estão indo atrás tentando comprar vacinas e ajudar o país, ajudar na retomada da economia e a salvar vidas”, emendou.

    Na ocasião, Mendes também criticou a decisão dada pela Anvisa – de forma unânime – contra a importação do imunizante.

    Ele lembrou que a Sputnik V já está sendo usada em mais de 60 países e disse que Mato Grosso e demais governadores devem recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra a decisão da agência reguladora.

    “Infelizmente, buscaram muitos mecanismos [para negar a importação]. E como não sou um profissional da área, fica difícil contestar tecnicamente. Mas o consórcio de governadores vai contestar tanto no campo jurídico quanto no campo cientifico”, afirmou.

    “Estamos adotando todas as medidas necessárias para que Anvisa faça aprovação. Se não, nós vamos ao STF. Essa vacina está sendo usada em mais de 60 países ao redor do Mundo. Na Argentina, quase 7 milhões já foram vacinados. Os resultados estão sendo acompanhados. A vacina Sputnik apresenta 91% de eficiência”, concluiu.