02 de agosto de 2021
Mais
    Capa Destaques Mendes recorda vaias recebidas e promete pagar RGA em maio
    RELATIVA À 2018

    Mendes recorda vaias recebidas e promete pagar RGA em maio

    O anúncio foi feito na manhã desta sexta-feira (30)

    Imagem: Mauro Mendes22 Mendes recorda vaias recebidas e promete pagar RGA em maio
    O governador Mauro Mendes, que anunciou pagamento da RGA – Foto: Christiano Antonucci

    O governador Mauro Mendes (DEM) prometeu que, no mês de maio, pagará a Revisão Geral Anual (RGA) dos servidores públicos do Estado relativa ao ano de 2018.

    Segundo ele, a concessão da revisão será possível já que o Estado irá se enquadrar aos limites impostos pela Lei de Responsabilidade Fiscal, no que se refere a gastos com pessoal.

    O anúncio foi feito na manhã desta sexta-feira (30), durante ato que marcou a inauguração da nova sede da Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos, em Cuiabá.

    Na ocasião, ele lembrou episódios ocorridos em seus dois primeiros anos de gestão, quando foi vaiado por servidores públicos e produtores rurais, em razão de medidas adotadas pelo Executivo.

    “Tomei vaia dos produtores, mas hoje sei que muitos estão aplaudindo. Tomei vaia do servidor. Vocês lembram que a Educação fez 76 dias de greve. E eu dizia que não adiantava fazer greve, pois não tinha como dar aumento. Eu estava pagando salário parcelado como vou dar aumento?”, questionou.

    “Não revoguei RGA ou lei de carreira de ninguém. Disse que não tinha como pagar naquele momento. Que quando houvesse condições a gente pagaria. Já avisei: no mês de maio vamos pagar agora o RGA que deram em 2018 mas não pagaram. Vamos chegar aos 49% [limite de gastos], que é o que está lei, e vamos pagar”, emendou Mendes.

    Outros valores, segundo ele, ainda não serão quitados já que há impedimentos em razão de uma lei do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido).

    No ano passado, o Governo Federal concedeu auxílio-financeiro a Estados e Municípios.

    Como contrapartida, eles não podem criar novas despesas – a exemplo de reajustes salariais – até o dia 31 de dezembro deste ano.