23 de abril de 2021
Mais
    Capa Destaques Prefeito diz que fim de restrições depende de mais UTIs e vacinas
    COVID-19

    Prefeito diz que fim de restrições depende de mais UTIs e vacinas

    Prefeito disse que Governo pode abrir 20 novos leitos de UTIs no Hospital Regional nesta sexta-feira, o que mudaria a classificação do município e permitirá a flexibilização das restrições.

    Imagem: reuniao prefeito comercio Prefeito diz que fim de restrições depende de mais UTIs e vacinas
    Representantes de empresários e trabalhadores pediram fim de restrições às atividades comerciais – Foto: Assessoria Sincomroo

    O prefeito José Carlos do Pátio decidiu adiar para amanhã (09) o anúncio sobre a manutenção do decreto que restringe atividades comerciais e proíbe o transporte e o comércio de bebidas alcóolicas na cidade. Ele adiantou que poderá flexibilizar as restrições caso o Governo proceda a abertura de novos leitos de UTI no Hospital Regional Irmã Elza Geovanella. A vigência dos decretos, estadual e municipal, termina nesta sexta-feira.

    A reunião foi realizada no gabinete do prefeito e contou com representantes da ACIR, CDL. Sindicato dos Empregados no Comércio, Sindicato do Comércio Varejista, Sindebares e também da Associação Rondonopolitana de Bares e Restaurantes. Eles reiteraram a preocupação com os prejuízos decorrentes das restrições.

    “Ouvi as entidades, vou conversar com a equipe técnica e também com o Comitê de Crise. Com estas informações devo decidir, por volta das 10 horas da manhã, se manterei as restrições ou se editaremos um decreto mais flexível a partir de amanhã”, disse o prefeito.

    José Carlos do Pátio disse que a flexibilização vai depender também da abertura de 20 novos leitos pelo Governo do Estado no Hospital Regional.

    “Estão me dizendo que amanhã vão cumprir essa promessa que vem se sendo adiada há semanas. Se abrirem esses novos leitos Rondonópolis passará da classificação de ‘risco muito alto’ para a de ‘risco ‘alto’, o que permitirá a reabertura do comércio e a adoção de medidas menos rígidas”, adiantou.

    O prefeito também voltou a criticar o Ministério da Saúde pela forma de distribuição de vacinas contra a Covid-19 aos estados. Ele disse que já pediu a intervenção do Poder Judiciário para reparar a disparidade, considerando que a verdadeira solução para o problema é a imunização da população.

    “Nossa pauta é propositiva, queremos buscar o melhor. Mas na minha concepção a saída para o município de Rondonópolis é a vacina. Não é justo que Mato Grosso sendo o estado que proporcionalmente mais teve óbitos seja também o que menos recebeu vacinas”, destaca.

    OTIMISMO
    Os representantes das entidade deixaram a prefeitura otimistas com a possibilidade de suspensão das restrições às atividades comerciais.

    “O prefeito se mostrou bastante aberto ao diálogo e acho que teremos um resultado positivo no que diz respeito à abertura do comércio. Ele viu que esse é o desejo de todas as entidades”, disse o presidente do Sindicato dos Empregados no Comércio, Lucas Gonçalves.