08 de maio de 2021
Mais
    Capa Cidades Rondonópolis Com índice baixo, Rondonópolis suspende 2ª dose da CoronaVac por falta de...
    PROBLEMA

    Com índice baixo, Rondonópolis suspende 2ª dose da CoronaVac por falta de vacinas

    Município já comunicou Estado e União e aguarda novas remessas para definir quando fornecerá a segunda dose aos imunizados com a CoronaVac

    Imagem: coronavac Rovena rosa agencia brasil Com índice baixo, Rondonópolis suspende 2ª dose da CoronaVac por falta de vacinas
    Governo Federal não cumpriu promessa de garantir vacinas para a aplicação da segunda dose dentro do prazo previsto – Foto: Divulgação

    A Secretaria Municipal de Saúde de Rondonópolis confirmou nesta quarta-feira (28) a suspensão da aplicação da segunda dose CoronaVac para idosos e não há previsão de quando a oferta será retomada. A decisão foi tomada devido à falta destas vacinas e ocorre num momento em que a cidade teve uma queda no ranking estadual desta etapa da vacinação.

    Conforme informações divulgadas na terça-feira (27) pela Secretaria Estadual de Saúde (veja quadro abaixo), Rondonópolis é a 16ª melhor colocada na aplicação da primeira dose das vacinas contra a Covid-19, bem à frente das outras cidades de porte semelhante. Porém, no quadro que leva em conta apenas a segunda dose da vacina o município despenca para a 91ª posição.

    Procurada pela reportagem do portal AGORA MT, a assessoria de Comunicação da Prefeitura informou que os dados da Secretaria Estadual de Saúde estão defasados, também argumentam que o ranking não leva em conta o período entre as duas fases – que pode chegar a 28 dias no caso da CoronaVac, e até três meses com a AstraZeneca.

    O boletim divulgado ontem pela Secretaria de Saúde do município aponta que até o momento 31.055 pessoas receberam a primeira dose da vacina (o ranking do Estado informa 28.851). A segunda dose foi aplicada em 10.711 (10.218 no ranking estadual).

    Imagem: quadro vacina rankng Com índice baixo, Rondonópolis suspende 2ª dose da CoronaVac por falta de vacinas
    Fonte: Secretaria Estadual de Saúde

    GOVERNO FEDERAL
    A Prefeitura de Rondonópolis também argumenta que a diferença no desempenho entre as duas fases da vacinação deve-se ao fato de terem cumprido a orientação do Ministério da Saúde para a aplicação de todas as doses disponíveis, sem deixar reservas para a segunda dose.

    Com isso, foi possível acelerar a aplicação da primeira dose, mas o não cumprimento do cronograma apresentado ao Ministério da Saúde estaria comprometendo o avanço da segunda fase a imunização.

    Além de reduzir o envio de doses, o Ministério também não está respeitando a programação inicial – o que causou, por exemplo, a suspensão hoje da aplicação da segunda dose às pessoas que receberam a CoronaVac.

    “O próprio Ministério da Saúde havia emitido orientação aos municípios para que utilizassem todas as doses da CoronaVac disponíveis em primeira dose, garantindo o envio das segundas doses nos prazos. Porém isso não ocorreu”, informa a Secretaria de Saúde.

    O município diz que já comunicou a situação às autoridades estaduais e federais e aguardam uma resposta para definir a retomada da vacinação e estabelecer um novo cronograma.

    Veja abaixo a íntegra da nota enviada à imprensa:

    NOTA – SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE – RONDONÓPOLIS

    A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) explica que precisou suspender nesta quarta-feira (28) a vacinação da segunda dose da vacina coronavac para os idosos em função da falta de doses. Nesta última remessa, Rondonópolis recebeu apenas 790 doses da coronavac que foram totalmente utilizadas para aplicação da segunda dose dos idosos.

    O problema da falta de doses da coronavac é nacional e não local. O próprio Ministério da Saúde havia emitido orientação aos municípios para que utilizassem todas as doses da coronavac disponíveis em primeira dose, garantindo o envio das segundas doses nos prazos. Porém isso não ocorreu e a nova orientação do Ministério da Saúde é que os idosos poderão tomar a segunda dose mesmo após o prazo de 28 dias, e que isso não acarretará prejuízos na imunização.

    A SMS retomará a vacinação da segunda dose em idosos que tomaram a vacina coronavac assim que receber novas doses.  Na segunda-feira (19/4), o principal fabricante do fármaco contra a covid-19, o Instituto Butantan, informou ao Ministério da Saúde que o próximo repasse estaria previsto em 13 dias.

    A Secretaria Municipal de Saúde já fez também solicitação oficial para Superintendência de Vigilância em Saúde do Governo do Estado para o envio das segundas doses de coronavac que não foram recebidas.