13 de maio de 2021
Mais
    Capa Notícias Manchete Secretários de Saúde criticam demora na divulgação de dados sobre vacinas
    POLITIZAÇÃO

    Secretários de Saúde criticam demora na divulgação de dados sobre vacinas

    Ontem (25), a página do Localiza SUS mostrava 37.846.525 doses aplicadas em todo país, enquanto a soma dos números das secretarias registrava 41.468.622 já na noite do sábado (24)

    Imagem: Bombeiros militares vacinando de covid Secretários de Saúde criticam demora na divulgação de dados sobre vacinas
    Disparidade dos dados divulgados pelo Ministério da Saúde também foi denunciada pela Prefeitura de Rondonópolis – Foto: AgoraMT

    A demora na atualização do painel de vacinação do Ministério da Saúde, que divulga quantas doses de imunizante contra a Covid-19 foram aplicadas, é o motivo do novo atrito entre o Governo Federal, os estados e as prefeituras brasileiras. Os secretários de Saúde reclamam da lentidão e suspeitam que ela pode ter motivação política.

    O atraso na atualização desses dados já provocou problemas também em Mato Grosso. Em Rondonópolis a Prefeitura chegou a ser acusada de estocar indevidamente cerca de 11 mil vacinas contra a Covid-19, mas afirmou que havia uma disparidade causada pela lentidão do Ministério da Saúde para atualizar os dados reais do município – que alega ter utilizado mais de 90% das vacinas recebidas.

    Ontem (25), a página do Localiza SUS mostrava 37.846.525 doses aplicadas em todo país, enquanto a soma dos números das secretarias registrava 41.468.622 já na noite do sábado (24).

    A diferença mais gritante envolve o estado de São Paulo. A página do ministério mostrava 8,8 milhões de doses aplicadas na noite deste domingo (25), enquanto o vacinômetro do governo de São Paulo já registrava mais de 10 milhões desde a manhã de quinta-feira (22). Ontem chegou a 10,7 milhões.

    O Ministério da Saúde argumenta que o sistema é alimentado por estados e municípios, atualizado a cada quatro horas e que solicitou mais celeridade no envio dos dados aos entes da federação.

    Já os secretários de Saúde afirmam que os governos estaduais e prefeituras têm enviado as informações regularmente. Eles dizem que a atualização é tecnicamente muito simples, o que contribui para reforçar a impressão de que há má vontade por parte do Governo Federal.

    MOTIVAÇÃO POLÍTICA
    Os secretários afirmam que têm sido pressionados por órgãos de controle e pela população que, baseados nos números do ministério, cobram mais agilidade. Bolsonaristas também têm feito ataques, insuflados pelo presidente.

    Eles veem possível motivação política no atraso para fortalecer a narrativa de Bolsonaro de que tem entregado vacinas e elas não tem sido dadas. No final de março, o presidente chegou a divulgar em suas redes sociais alguns cards que mostravam a diferença entre as vacinas distribuídas e as aplicadas.

    Em nota encaminhada ao jornal ‘Folha de São Paulo’ o governo de São Paulo disse que os dados sobre a vacinação nas 645 cidades do Estado são atualizados a cada 15 minutos e divulgados de forma transparente para todo o país.

    “Os dados são extraídos da plataforma estadual VaciVida, que possui interoperabilidade com o sistema federal. Portanto, eventual delay (atraso) está sob responsabilidade do próprio Governo Federal, considerando inclusive que o próprio painel do Localiza SUS que contém as estatísticas da vacinação do Brasil indica em nota de rodapé o atraso de atualização dos dados contidos na RNDS (Rede Nacional de Dados em Saúde)”, completa.