13 de maio de 2021
Mais
    Capa Destaques Secretário de Saúde e vereadores foram impedidos de entrar no Hospital Regional
    RONDONÓPOLIS

    Secretário de Saúde e vereadores foram impedidos de entrar no Hospital Regional

    Abertura de novos leitos é considerada essencial para atender pacientes que estão na fila de esfera e também para mudar a classificação que determina o nível de restrições às atividades comerciais.

    Imagem: veread hr Secretário de Saúde e vereadores foram impedidos de entrar no Hospital Regional
    Vereadores e secretário de Saúde ameaçam permanecer no local até que os novos leitos sejam abertos – Foto: Varlei Cordova/AgoraMT

    O secretário municipal de Saúde, Vinicius Amoroso, e os vereadores Reginaldo Santos (SD) e Marildes Ferreira (PSB) foram impedidos de acessar as instalações do Hospital Regional Irmã Elza Giovanella no fim da tarde de hoje (09), mas decidiram manter uma vigília no local para cobrar a abertura dos 20 novos leitos de UTI prometidos pelo Governo do Estado.

    “Não vamos arredar o pé daqui enquanto não tivermos uma resposta. Somos representantes da população e temos não só o direito, mas o dever de exigir um tratamento digno”, disse o vereador Reginaldo Santos.

    O grupo chegou ao hospital no início da tarde para checar a informação de que os leitos seriam abertos as 19 horas de hoje. Receberam a informação de que isso não seria possível devido a problemas na escala dos médicos e também pela falta de dois equipamentos – um ventilador de transporte e um aparelho de marca-passo.

    Os equipamentos foram cedidos pela Unidade de Pronto Atendimento e pela Santa Casa, porém a direção do hospital manteve a alegação de problemas na escala dos médicos.

    “Isso não é verdade. Os servidores foram contratados no dia 03 de abril e estão prontos, esperando autorização para iniciar os atendimentos. Infelizmente a diretora do Hospital, que também é a fiscal do contrato de terceirização, se recusa a dar mais informações e exigiu a nossa saída”, relatou Marildes.

    O secretário de Saúde, Vinicius Amoroso, também reclamou do tratamento dado ao grupo. “O Estado já inaugurou os novos leitos prometidos em cidades vizinhas, enquanto Rondonópolis continua assim, sem obter sequer uma resposta do Governo do Estado’, afirmou.

    Rondonópolis tinha nesta sexta-feira 17 pessoas aguardando internação em UTIs. Além de atender esses pacientes, a abertura dos novos leitos também é fundamental para alterar a classificação do município, que hoje figura como de ‘Risco Muito Alto’ para a Covid-19. A mudança pode permitir a redução das restrições impostas a movimentação e também às atividades comerciais no município.

    MPE
    Conforme a vereadora Marildes Ferreira, a Promotoria de Justiça foi comunicada sobre a situação, mas não se pronunciou oficialmente. A direção do hospital teria informado aos representantes do MP que o adiamento na abertura dos leitos deve-se à falta de médicos intensivistas.

    “Achamos que esse argumento não convence, é insatisfatório. Se o Estado não conseguiu contratar intensivistas para Rondonópolis onde encontrou profissionais para inaugurar os leitos de Primavera do Leste?”, indaga a vereadora.

    Os vereadores, o secretário de Saúde e outras servidores do município continuam na ala externa do hospital.

    Agora a pouco a Assessoria de Comunicação do Governo do Estado divulgou nota negando que houvesse anunciado para hoje a inauguração dos novos leitos no Hospital Regional em Rondonópolis.