11 de maio de 2021
Mais
    Capa Destaques UTIs começam a funcionar no HR e empresa tem 30 dias para...
    RESPONSABILIDADE

    UTIs começam a funcionar no HR e empresa tem 30 dias para sanar pendências

    Empresa alegou dificuldades para cumprir exigências relacionadas ao número de médicos intensivistas e à qualificação dos plantonistas que atuarão nos novos leitos.

    - Foto: Varlei Cordova / AGORA MATO GROSSO
    Hospital Regional de Rondonópolis começou a operar hoje 20 novos leitos de UTI- Foto: Varlei Cordova / AGORA MATO GROSSO

    A empresa que vai gerir os leitos abertos hoje (11) no Hospital Regional Irmã Elza Giovanella tem 30 dias para sanar pendências envolvendo a qualificação dos médicos que prestarão os serviços. O prazo está previsto no ofício que autorizou o funcionamento das 20 UTIs e a prática é considerada comum diante da escassez de médicos especialistas desde o agravamento da pandemia de Covid-19.

    As exigências suspensas temporariamente são relacionadas ao número de médicos intensivistas e também à comprovação de que todos os médicos plantonistas tenham experiência mínima de dois anos na área.

    Em documento protocolado no sábado (09), já sob a pressão pela abertura imediata dos leitos, a empresa Instituto Mato-grossense de Terapia Intensiva LTDA reconheceu dificuldades para encontrar os profissionais com as especificações descritas no edital elaborado pela Secretaria Estadual de Saúde.

    Citando recomendações da AMIB (Associação de Medicina intensiva Brasileira), do Conselho Federal de Medicina, do Ministério Público de Contas (MPC) e do Tribunal de Contas do Estado (TCEMT), a empresa pediu autorização para iniciar os serviços utilizando também médicos sem especialização.

    No mesmo documento o Instituto se comprometeu a contratar o máximo de profissionais com as qualificações exigidas e manter os demais sob a supervisão de médicos especialistas experientes, com o acompanhamento dos diretores técnicos da UTI e do Hospital.

    Ontem (10) a Secretaria Estadual de Saúde e a direção do Hospital Regional aceitaram as condições e o prazo de 30 dias solicitado pela empresa para sanar os problemas. A autorização emitida pela direção do Hospital (veja nesta página) cita a dificuldade para a obtenção de recursos materiais e humanos para a assistência médica.

    Os diretores do hospital também anexaram a declaração feita pelo responsável técnico da empresa, Renê André Santos, se responsabilizando pelas ‘inconformidades relacionadas aos médicos plantonistas presenciais e profissionais de subespecialidades que atuarão na UTI’.

    Além de prometer a regularização da escala de médicos em 30 dias, Renê André Santos também se comprometeu, neste período, a “acionar imediatamente sempre que necessário ao tratamento do paciente internado, médico especializado para atendimento e parecer em até duas horas após a solicitação”.

    Com os leitos abertos neste domingo, o Hospital Regional de Rondonópolis conta agora com 30 UTIs em funcionamento. A rede pública dispõe ainda de 20 leitos de UTIs na Santa Casa e outros 10 no Hospital Municipal Dr Antonio Muniz.

    Imagem: oficio hr autorizacao UTIs começam a funcionar no HR e empresa tem 30 dias para sanar pendências
    Autorização para funcionamento cita responsabilização da empresa por pendências.