02 de agosto de 2021
Mais
    Capa Variedades Conheça os cinco animais que estão ameaçados de extinção
    MAIS DE MIL EM RISCO

    Conheça os cinco animais que estão ameaçados de extinção

    Vários animais encontram-se, atualmente, ameaçados de extinção em decorrência da destruição do habitat, mudanças climáticas, caça e pesca descontroladas, entre outros fatores

    Imagem: Pantanal
    Onça Pintada – Foto – Rodrigo Vargas

    Animais ameaçados de extinção são aqueles que correm risco de desaparecer de maneira definitiva do nosso planeta, ou seja, de tornarem-se extintos. Apesar de ser relativamente comum na natureza, atualmente, o processo de extinção tem sido intensificado pelo homem.

    Segundo o Ministério do Meio Ambiente (MMA) e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), existem mais de mil espécies com risco de extinção no Brasil. Isso é muito mais triste, quando temos em mente que o Brasil é o país com a biodiversidade mais rica do mundo.

    Tráfico de animais, queimadas, desmatamento, construção de hidrelétricas, poluição e caça predatória são os principais motivos que levam o Brasil a ter altos números de animais em extinção. As pesquisas mostram que milhares de animais foram extintos nos últimos cem anos, e um número crescente de espécies de animais correm o risco de extinção. Confira os 5 animais que estão em extinção e podem sumir nos próximos anos.

    1. ONÇA-PINTADA

    A onça-pintada é o maior felino das Américas, está na lista das espécies ameaçadas de extinção na categoria vulnerável. É uma espécie que pode ser encontrada em diferentes biomas brasileiros, porém é considerada um símbolo do Pantanal. É difícil estimar a população na Amazônia e no Pantanal, mas na Mata Atlântica e na Caatinga a espécie está ameaçada.

    As principais causas que ameaçam a extinção da onça-pintada está relacionada à caça por fazendeiros para proteger seus rebanhos, além disso, sofre com a destruição do seu habitat, sua pele tem grande valor no mercado mundial e compromete a conservação da espécie.

    Atualmente, estima-se que sua população não ultrapasse 10.000 indivíduos.

    2. LOBO-GUARÁ

    O lobo-guará é um animal que também se encontra na lista dos animais com risco vulnerável de extinção e tem como habitat os biomas do Cerrado e do Pampa. Esse animal é considerado o maior mamífero canídeo nativo da América do Sul. A causa mais comum para a redução desta espécie está relacionada ao desmatamento das vegetações.

    Estima-se que nos Pampas, atualmente, exista uma população média de apenas 50 animais.

    3. TAMANDUÁ-BANDEIRA

    O tamanduá-bandeira é um animal que está classificado como vulnerável e pode ser encontrado na Amazônia, no Cerrado, na Mata Atlântica e no Pantanal. Atualmente, a população de tamanduás-bandeira está diminuindo. Ele vem sofrendo com desmatamento e queimadas das regiões destinadas às plantações ou criação de gado.

    4. PANDA-GIGANTE

    Imagem: panda gigante Conheça os cinco animais que estão ameaçados de extinção
    Panda gigante – Foto: Foto: Unsplash

    Os pandas-gigantes vivem na região centro-sul da China. São mais de 2500 indivíduos vivendo em pontos isolados, o que acarreta um obstáculo ainda maior para o acasalamento e coleta de alimentos desses animais. A dificuldade para promover a reprodução dos pandas são enormes, porque as fêmeas só entram no cio uma vez por ano, por no máximo três dias.

    Em 2005, em projetos de reprodução em cativeiro, a espécie reproduziu 25 filhotes.

    5. MICO-LEÃO-DOURADO

    O mico-leão-dourado habita a Mata Atlântica e sofreu durante décadas com o desmatamento e o tráfico de animais. O que resultou ainda mais na eliminação da espécie ao longo das últimas décadas. Ainda existem poucas versões nas florestas do estado do Rio de Janeiro.

    Com o apoio de projetos nas unidades de conservação onde se encontram, a situação tende a melhorar. Porém, a espécie está ainda classificada em perigo de extinção.

    CLASSIFICAÇÃO DOS ANIMAIS EM EXTINÇÃO

    Para classificar o nível do perigo de extinção dos animais, o ICMBio adotou o padrão utilizado pela União Internacional para Conservação da Natureza (IUCN). Considerando desta forma três grandes categorias compostas de outras subcategorias:

    Extinto: extinto da natureza;
    Ameaçada: vulnerável, em perigo e criticamente ameaçada;
    Baixo risco: dependente de conservação, quase ameaçada, pouco preocupante.