21 de junho de 2021
Mais
    Capa Destaques Deputados querem que retorno às aulas presenciais seja adiado
    REDE ESTADUAL

    Deputados querem que retorno às aulas presenciais seja adiado

    Vários deputados criticaram veto do governador à medida aprovada pela ALMT sobre vacinação de profissionais da Educação

    Imagem: almt 1 Deputados querem que retorno às aulas presenciais seja adiado
    Mesa Diretora decidiu adiar votação de veto do governador à emenda que garante vacinação de profissionais da Educação- Foto:Assessoria

    Vários deputados cobraram na quarta-feira (26) que o governo de Mato Grosso adie o início das aulas presenciais na rede pública de ensino, previsto para o próximo dia 7 de junho. O assunto deverá ser discutido por uma comissão indicada pela Mesa Diretora da Assembleia Legislativa.

    A medida foi anunciada na sessão ordinária desta quarta-feira, após mais um adiamento da votação sobre o veto do governador Mauro Mendes à proposta que previa a vacinação de todos os profissionais da Educação – como condição para a retomada das atividades presenciais.

    Vários deputados destacaram que a lei que tornou a Educação um serviço essencial só foi aprovada por causa de uma emenda, de autoria de Thiago Silva (MDB), que exigia a vacinação e estabelecia outras medidas visando a segurança de alunos e professores. A lei foi usada pelo Governo para suspender o teletrabalho nas escolas e convocar o início das aulas presenciais para junho.

    “Esta Casa só aprovou a Educação como serviço essencial por causa do parágrafo 4º, inserido pela emenda do deputado Thiago Silva. Sem esse parágrafo, prevendo a vacinação, não haveria quórum para a aprovação do projeto”, disse o deputado Alan Kardec (PDT) ao defender a derrubada imediata do veto.

    Imagem: Deputado estadual Allan Kardec Deputados querem que retorno às aulas presenciais seja adiado
    Deputado Allan Kardec disse que retorno sem vacinas ameaça comunidade escolar e pode ampliar disseminação do vírus – Reprodução

    O deputado Alan Kardec destacou que o retorno às aulas poderá acelerar a disseminação do coronavírus nas grandes cidades e também nas regiões rurais.

    “Diferente do que ocorre na rede privada, onde muitas vezes os pais levam os filhos à escola, a maioria dos 400 mil alunos da rede pública usam o transporte público ou o transporte escolar. Nas comunidades rurais, por exemplo, o mesmo ônibus transporta alunos de várias regiões. Esse contato aumentará muito o risco de contaminações e a propagação da doença”.

    TERCEIRA ONDA
    Os parlamentares também ponderaram que o Estado tem registrado um aumento de casos de Covid-19, que o próprio Secretário de Saúde alerta para uma terceira onda da doença e que há uma nova cepa do vírus circulando no País.

    “Nosso objetivo é evitar que os professores sejam forçados a voltar em plena terceira onda. A situação hoje é incompatível com o retorno. Nada impede que a programação para a retomada das atividades presenciais continue, mas sem a presença dos alunos”, disse Janaína Riva (MDB).

    “Vamos conversar com o Governo para rever a data. Acreditamos que dentro de 30 dias já teremos vacinado todos os profissionais. Podemos esperar mais um pouco”, defendeu a deputada.

    Imagem: janaina riva deputada foto divulgacao assessoria 1 Deputados querem que retorno às aulas presenciais seja adiado
    Deputada Janaína Riva disse que momento é incompatível com retorno e que é possível aguardar a imunização dos profissionais – Foto; Assessoria

    O deputado Thiago Silva disse que o presidente da ALMT já se comprometeu a compor a comissão com parlamentares que são ligados ao setor da Educação. No entanto, ele acredita que antes mesmo da discussão sobre a derrubada do veto o Governo deverá anunciar o adiamento do início das aulas presenciais.

    “O presidente (Max Russi-PSB) achou melhor fazer essa comissão para chegar a um entendimento com o governo do Estado, pois sabemos que não há como voltar às aulas neste momento em que aumenta os casos”, explicou. “Eu acredito que o Governo fará um novo decreto, adiando a retomada das aulas presenciais. Se isso não acontecer vamos trabalhar pela derrubada do veto”.

    Thiago Silva disse que ainda não há encontro agendado entre os representantes do governo e da Assembleia. Mas, conforme ele, isso deve ocorrer nos próximos dias e existe um compromisso da Mesa Diretora de que o veto será votado na próxima sessão se não houver acordo.

    “A decisão certamente sairá antes do dia 7 de junho”, disse Thiago Silva referindo-se a data programada pela Secretaria Estadual de Educação para o retorno das aulas presenciais.

    DO OUTRO LADO

    Na manhã desta quinta-feira (27) a Secretaria de Educação de Mato Grosso publicou um comunicado reforçando que o retorno às aulas está mantido.

    Leia na íntegra a publicação da Sedeuc-MT:

    A Secretaria de Educação de Mato Grosso (Seduc-MT) informa que mantém o planejamento de volta às aulas, tem acompanhado todos os índices da pandemia e orientado as escolas estaduais sobre protocolos de biossegurança nas unidades, como divulgado no plano de volta às aulas à sociedade e Imprensa no dia 20 de maio. Neste momento não há mudança sobre o planejamento de retorno às aulas para o dia 7 de junho. Os municípios classificados com RISCO MUITO ALTO não terão retorno das aulas na rede estadual de ensino.