21 de junho de 2021
Mais
    Capa Destaques Seduc vai apurar denúncia de assédio moral em escola de Rondonópolis
    TENTATIVA DE SUICÍDIO

    Seduc vai apurar denúncia de assédio moral em escola de Rondonópolis

    Professora de 51 anos tentou se matar após crise depressiva; ela disse que sofreu assédio moral e registrou Boletim de Ocorrência contra a direção da Escola Estadual Odorico Leocádio Rosa

    Imagem: escola odorico Seduc vai apurar denúncia de assédio moral em escola de Rondonópolis
    Diretora, coordenadora e professores da escola serão ouvidos em investigação interna da Seduc – Foto: Divulgação

    O Escritório Regional de Educação vai apurar uma denúncia de assédio moral envolvendo a direção da Escola Estadual Odorico Leocádio da Rosa, no Jardim Belo Horizonte, em Rondonópolis. A denúncia foi feita por uma professora que chegou a registrar um Boletim de Ocorrência na polícia após tentar suicídio. Segundo ela, a tentativa ocorreu durante uma crise causada pelos assédios.

    “É um caso grave, mas precisamos atuar nisso de modo sério e institucional, sem nos levar pela emoção. Vamos ouvir todos os lados para chegar o mais próximo da verdade, para não punir inocentes ou inocentar culpados”, disse Valdelice de Oliveira, chefe do Escritório Regional da Secretaria Estadual de Educação (Seduc)

    De início serão ouvidos os gestores da escola, os membros do Conselho Deliberativo e, assim que tiver condições, também a professora que fez a denúncia. A equipe encarregada da apuração já fez uma visita à escola e começará a tomar os depoimentos na segunda-feira (10).

    Não está descartada ainda a convocação de alunos e pais que possam contribuir com o esclarecimento do caso.

    Valdelice pediu que as pessoas evitem fazer pré-julgamentos e nem  exponham a escola à execração pública. Conforme ela, o processo de apuração exige a garantia de ampla defesa e também o cumprimento de prazos legais.

    Ela também assegurou que a Secretaria Estadual de Educação já se prontificou a dar toda a assistência à recuperação da professora. “Uma equipe com psicólogo já foi designada para ir até a casa dela e oferecer todo apoio necessário” .

    ENTENDA O CASO
    A professora tem 51 anos e disse que desde o início do ano é alvo de cobranças e constrangimentos praticados pela diretora e pela coordenadora da escola.

    A situação teria chegado ao limite na última terça-feira (04), durante uma reunião do Conselho Estudantil. A professora disse ter sido ofendida e humilhada diante de várias pessoas, o que teria desencadeado uma crise depressiva.

    Após a reunião a professora tomou vários remédios com a intenção de pôr fim à própria vida. Ela chegou a ser hospitalizada, mas passa bem e está se recuperando em casa ainda sob observação médica.